Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Hospital é atingido por bombardeios na Síria; treze pessoas morreram

Defesa Civil da Síria (Capacetes Brancos) em meio aos escombros do hospital de al-Shifaa, após ataques de artilharia na cidade de Afrin, norte da Síria, 12 de junho de 2021 [Bakr Alkasem/AFP via Getty Images]
Defesa Civil da Síria (Capacetes Brancos) em meio aos escombros do hospital de al-Shifaa, após ataques de artilharia na cidade de Afrin, norte da Síria, 12 de junho de 2021 [Bakr Alkasem/AFP via Getty Images]

Ao menos treze pessoas morreram e outras ficaram feridas em dois ataques de artilharia conduzidos contra a cidade síria de Afrin, no norte da Síria, neste sábado (12), reportaram fontes médicas locais e o governo da Turquia, que intervém na região.

As informações são da agência Reuters.

O primeiro ataque atingiu uma área residencial, segundo a defesa civil. Pouco depois, novos disparos atingiram um hospital local. Um vídeo que viralizou nas redes sociais registrou as baixas deixadas entre as ruínas do hospital de Al Shifa.

Ancara acusou o grupo paramilitar curdo Unidades de Proteção Popular (YPG) de executar o ataque. Entretanto, as Forças Democráticas da Síria (FDS), coalizão da oposição síria da qual faz parte o YPG, com apoio dos Estados Unidos, negou a alegação.

O Ministério da Defesa da Turquia corroborou o número de mortos, além de 27 feridos.

LEIA: ONU está “profundamente preocupada” com as condições de 13,4 milhões de sírios deslocados internamente

O gabinete de governo da província de Hatay, na fronteira entre o território turco e Afrin, anunciou uma investigação sobre os ataques, ao observar que os mísseis foram disparados da área de Tel Rifat, controlada pelo regime sírio de Bashar al-Assad.

A Turquia considera o YPG uma organização terrorista, filiada ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Nos últimos anos, o exército turco conduziu uma série de incursões na Síria para expulsar combatentes curdos da região de fronteira.

Ancara possui atualmente milhares de tropas em campo no último bastião rebelde da Síria, país assolado pela guerra civil desde 2011, quando o regime de Assad reprimiu violentamente protestos populares por democracia.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaFrançaNotíciaOriente MédioSíriaTurquia
Show Comments
Show Comments