Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel executa campanha de detenção contra proeminentes ativistas palestinos

As forças de ocupação e a polícia israelense realizaram uma campanha de detenção contra jornalistas e ativistas no Sheikh Jarrah durante o fim de semana

As forças de ocupação e a polícia israelense realizaram uma campanha de detenção contra jornalistas e ativistas no Sheikh Jarrah durante o fim de semana, segundo informações do Arab48 e de agências.

Como parte da campanha, as forças de ocupação invadiram a casa da proeminente ativista Muna El-Kurd e a detiveram. Eles deixaram uma ordem de detenção para seu irmão Mohammed e mais tarde ele se entregou ao centro de detenção onde sua irmã estava sendo mantida.

Muitos outros ativistas foram detidos, convocados ou espancados pela polícia, incluindo a correspondente da Al Jazeera Givara Budeiri, que foi espancada e detida enquanto cobria os eventos no Sheikh Jarrah.

Tanto Mohammed quanto Muna foram soltos horas depois e instruídos a não participar das atividades no Sheikh Jarrah que visam divulgar os planos israelenses de expulsá-los à força de sua casa, juntamente com dezenas de outras famílias da vizinhança.

Após sua libertação, Mohammed disse que a ocupação estava praticando políticas de “intimidação” contra as famílias palestinas.

LEIA: Israel libera jornalista da Al Jazeera detida em Jerusalém

Budeiri foi libertada horas após sua detenção, ela foi ordenada a não retornar ao bairro do Sheikh Jarrah por duas semanas. Mais tarde ela apareceu com seu braço engessado, o que ela disse ter acontecido depois que os soldados a chutaram, e com contusões causadas pelas algemas.

Em uma entrevista à televisão, ela contou que os soldados lhe disseram:

“Se deixássemos a Al Jazeera ficar em silêncio, todos iriam se calar… eles estavam me tratando como uma criminosa”.

“O que estou vendo agora no local,depois de todos estes anos, esta é a primeira vez que vemos este tratamento inacreditável [sic] para os jornalistas e especialmente para a Al Jazeera”.

“Eles querem que a câmera seja quebrada… eles querem que o microfone fique no chão, mas nós estamos dizendo a eles que o microfone e a câmera vão continuar e nós vamos continuar. Nada vai nos deter”, continuou ela.

O advogado Nasser Ouda disse que a polícia israelense usa “termos secretos” para deter os ativistas e jornalistas palestinos com o objetivo de impedir sua ação contra os planos de expulsão das famílias palestinas do Sheikh Jarrah.

Muna El Kurd disse: “A ocupação israelense está tentando roubar gradualmente as terras palestinas em Jerusalém; portanto, não quer que seus planos sejam expostos”.

Al Kurd concluiu: “Estamos lidando com uma potência colonial que está praticando uma limpeza étnica contra nós… Imagine que você está sendo ameaçado de ser expulso de sua casa a qualquer momento… Imagine que você está sendo ameaçado de ser forçado a sair do lugar onde nasceu e foi criado!”

LEIA: Al-Jazeera processa Israel por destruição de seu escritório em Gaza

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments