Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã enriquece urânio a níveis militares, alerta AIEA

Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), na sede da entidade em Viena, Áustria, 4 de março de 2021 [Alex Halada/AFP via Getty Images]
Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), na sede da entidade em Viena, Áustria, 4 de março de 2021 [Alex Halada/AFP via Getty Images]

Em entrevista ao jornal Financial Times, Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), alertou que o Irã está enriquecendo urânio a níveis “alcançados apenas por países que fabricam bombas”.

Segundo o chefe da entidade das Nações Unidas para monitoramento das atividades nucleares, a situação é “bastante preocupante”, pois o programa atômico iraniano tornou-se mais sofisticado do que dois anos atrás.

“O enriquecimento a 60% é quase nível militar”, esclareceu o especialista. “O enriquecimento para fins comerciais é de apenas 2.3%”.

Grossi reconheceu o “direito soberano” do Irã de desenvolver sua pesquisa, mas reiterou que a porcentagem atual de enriquecimento de urânio requer vigilância.

A maioria das medidas tomadas por Teerã pode ser revertida com razoável facilidade, destacou; porém, o nível de desenvolvimento em curso é um problema.

“Não é possível voltar atrás, uma vez que haja conhecimento; a única solução é monitorar”, observou. “O programa iraniano cresceu e tornou-se sofisticado, então um retorno linear a 2015 não é mais possível. O que podemos fazer é manter as atividades abaixo dos parâmetros”.

Os comentários do diretor-geral da AIEA devem causar preocupação aos Estados Unidos e Europa, que buscam reparar os danos causados pelo ex-presidente americano Donald Trump.

LEIA: A AIEA não terá acesso às imagens das instalações nucleares do Irã, diz legislador

Em 2018, o republicano revogou unilateralmente o Plano de Ação Conjunto Global — conhecido como acordo nuclear iraniano —, promovido por seu predecessor Barack Obama.

O atual presidente Joe Biden corre contra o tempo para renegociar o acordo.

Na terça-feira (25), Ali Rabiei, porta-voz do governo iraniano, expressou otimismo sobre um eventual consenso com as potências globais, a fim de restaurar em breve o acordo nuclear de 2015, embora prevaleçam ainda “sérias questões”.

Categorias
AIEAIrãNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments