Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Nova marcha cerca embaixada de Israel na Argentina

Marcha convoda pelo Comitê Argentino de Solidariedade com o Povo Palestino, em 20 de maio de 2021 [Resumen Latino Americano]
Marcha convoda pelo Comitê Argentino de Solidariedade com o Povo Palestino, em 20 de maio de 2021 [Resumen Latino Americano]

Convocados pelo Comitê Argentino de Solidariedade ao Povo Palestino, diversas organizações sociais e pessoas que se autoconvocaram pelo repúdio gerado pelos crimes contra a humanidade de Israel contra a Palestina ocupada,

A quinta-feira (20), em Buenos Aires, foi marcada por mais uma marcha de argentinos solidários com o povo palestino, até a embaixada israelense.

Com discursos de lideranças de vários partidos e movimentos sociais, o tom da marcha foi a acusação a Israel por terrorismo de Estado, com slogans como “Estado sionista, você é o terrorista”, e comparações com o nazismo;  “Será como foi como os nazistas:, aonde eles forem iremos procurá-los”.

O Comitê Argentino de Solidariedade com o Povo Palestino, convocado do ato, divulgou documento em que pede, entre outras coisas, o julgamento e condenação de Israel pela Corte Internacional de Haia, por crimes de guerra.

Declaração de Solidariedade com o Povo Palestino

Dada a situação atual e 73 anos após a Nakba, estamos aqui presentes porque a catástrofe continua até hoje. Como é do conhecimento público, centenas de civis (incluindo crianças e mulheres) continuam a ser massacrados, mesmo com o uso de armas químicas proibidas por convenções e tratados internacionais. E como se isso não bastasse, escolas da UNRWA foram até bombardeadas, dentro das quais havia civis para proteção, hospitais (como o Hospital Al Shifa na cidade de Gaza) e prédios da mídia árabe (como AlJazeera e AP), com o claro objetivo de enfraquecer a resistência e a moralidade do povo palestino.

LEIA: Nobel da Paz envia mensagem de defesa ao povo palestino durante manifestação na Argentina

É por tudo isso que voltamos a denunciar: – O inaceitável plano de colonização sistemática que Israel continua realizando nos territórios palestinos no século XXI. – O processo de judaização constante de Al Quds (Jerusalém) e da Cisjordânia que expulsa sua população palestina original. – As violações sistemáticas dos direitos humanos sofridas pela população palestina de Jerusalém, Gaza e Cisjordânia pela potência ocupante. – O infame crime de apartheid contra o povo palestino. – Os bombardeios ordenados pelo criminoso Benjamin Netanyahu que massacram a população civil palestina em Gaza. – Os despejos no bairro Sheikh Jarrah em Al Quds (Jerusalém) e a atroz repressão e assassinatos executados impunemente pelas forças de ocupação israelenses nos territórios ocupados da Cisjordânia, Al Quds e nas cidades palestinas onde hoje é Israel.

Entendendo que a comunidade internacional não pode ficar calada e que a Argentina tem neste espaço um lugar comprometido com os direitos humanos dos povos e sua autodeterminação, solicitamos ao governo argentino que promova as seguintes medidas:

  1. Adotar na Assembleia Geral das Nações Unidas uma resolução que renove o apelo para gerar sanções legítimas e efetivas contra Israel com foco no embargo militar, bem como para fornecer os meios para implementá-las, como uma contramedida para impedir sua anexação de fato e jure dos territórios palestinos ocupados e outras violações graves do direito internacional.
  1. Promover a ativação do Comitê Especial das Nações Unidas contra o Apartheid para abordar o regime de Israel sobre a população indígena da Palestina.
  1. Garantir a eficácia e atualização regular do banco de dados das Nações Unidas de empresas envolvidas em negócios em assentamentos israelenses ilegais.
  1. Apoiar a investigação do Tribunal Penal Internacional sobre crimes de guerra e crimes contra a humanidade perpetrados nos territórios palestinos ocupados.

Expressamos todo o nosso apoio e solidariedade ao povo palestino neste momento histórico. Pela autodeterminação dos povos, contra o colonialismo e a ocupação.

As armas que assassinam o povo palestino reprimem e assassinam nossos povos.

Obrigado colegas!

Comitê Argentino de Solidariedade com o Povo Palestino

20 de maio de 2021

LEIA: Os governos da América Latina diante do martírio do povo de Gaza

Categorias
América LatinaArgentinaÁsia & AméricasIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments