Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

É hora de mostrar unidade e determinação na Palestina, diz ministro da Turquia

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, em Ancara, Turquia, em 7 de maio de 2021 [Cem Özdel/Agência Anadolu]
O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, em Ancara, Turquia, em 7 de maio de 2021 [Cem Özdel/Agência Anadolu]

É hora de mostrar unidade e determinação na Palestina, e a Turquia está pronta para dar qualquer passo necessário, disse o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, em uma reunião extraordinária da Organização de Cooperação Islâmica (OIC) no domingo, relatou a Agência Anadolu.

Na reunião virtual para discutir os ataques de Israel à Palestina, Cavusoglu disse que Israel também tinha como alvo membros da imprensa e que metade dos que perderam suas vidas em Gaza eram mulheres e crianças.

Cavusoglu disse que a comunidade internacional tem o dever de proteger os civis palestinos, e a OIC tem uma grande responsabilidade nesse contexto.

Ele também mencionou a importância dos mecanismos de proteção internacional para civis palestinos, de acordo com uma resolução de 2018 da Assembleia Geral da ONU.

Afirmando que esse mecanismo pode ser estabelecido com as contribuições financeiras e militares de países voluntários, Cavusoglu também afirmou que os políticos e militares israelenses que foram considerados culpados de violar os direitos dos palestinos deveriam ser responsabilizados.

LEIA: ‘O aumento nas vítimas em Gaza revela os ataques desproporcionais de Israel’, diz Turquia

Acrescentou que, nesse contexto, o Tribunal Penal Internacional tem um papel especial.

Afirmando que os esforços para normalizar os laços com Israel o encorajaram, ele acrescentou: “Devemos defender a justiça e a humanidade. Não deve haver outras considerações. É hora de mostrar nossa unidade e determinação. A ummah (comunidade muçulmana) espera nossa liderança e coragem, e a Turquia está pronta para tomar todas as medidas necessárias”.

As tensões estão aumentando no bairro de Sheikh Jarrah em Jerusalém Oriental e na Mesquita de Al-Aqsa desde o mês sagrado muçulmano do Ramadã, quando as forças israelenses e colonos atacaram os palestinos.

Israel vai expulsar 400 palestinos do Sheikh Jarrah de Jerusalém [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

As tensões se espalharam de Jerusalém Oriental a Gaza depois que grupos de resistência palestinos prometeram retaliar contra os ataques israelenses à mesquita de Al-Aqsa e ao Sheikh Jarrah se eles não fossem detidos.

Israel ocupou Jerusalém Oriental, onde Al-Aqsa está localizada, durante a guerra árabe-israelense de 1967. Ela anexou toda a cidade em 1980, em um movimento nunca reconhecido pela comunidade internacional.

Categorias
Europa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaTurquia
Show Comments
Show Comments