Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Nova estratégia de quatro anos do Banco Mundial é lançada para criar empregos para os palestinos

Palestinos compram em um mercado em Ramallah, Cisjordânia, em 30 de janeiro de 2021 [Issam Rimawi / Anadolu]
Palestinos compram em um mercado em Ramallah, Cisjordânia, em 30 de janeiro de 2021 [Issam Rimawi / Anadolu]

O Banco Mundial aprovou uma nova estratégia de quatro anos para a Palestina que enfatiza a proteção de vidas e a criação de novas oportunidades de emprego para os palestinos em meio à pandemia do coronavírus.

A economia palestina deve crescer apenas 3,7 por cento ao ano entre agora e 2025, de acordo com um novo estudo da ONU, já que a pandemia da covid-19 continua a limitar a recuperação econômica e o crescimento global.

A previsão é baseada em simulações de novos modelos que mostram que a pandemia terá um impacto significativo na economia palestina, já abalada por restrições e vazamento de recursos fiscais devido à ocupação israelense.

“Devido ao persistente contexto frágil, potencializado pela pandemia, o fortalecimento da resiliência é necessário imediatamente”, disse Kanthan Shankar, diretor do Banco Mundial para a Cisjordânia e Gaza. “A nova estratégia do Banco Mundial atuará para proteger vidas e meios de subsistência e colocar a agenda de empregos na vanguarda de sua estratégia.”

O Produto Interno Bruto (PIB) palestino diminuiu 12 por cento em 2020 em comparação com 2019 como resultado da pandemia do coronavírus.

A Autoridade Monetária Palestina e o Bureau de Estatísticas Palestino disseram que a maioria das atividades econômicas encolheu no ano passado, o que levou a uma queda significativa na renda per capita.

LEIA: Uma prece palestina para o Ramadã: Que a voz dos oprimidos seja ouvida

O Banco Mundial também disse que o déficit fiscal do governo é superior a US$ 1 bilhão depois da ajuda – o maior em anos – e a queda nas receitas do governo “deprime o investimento e reduz os gastos urgentes”.

“O programa continuará a fortalecer a resiliência palestina em tempos de crise e fornecer ajuda e recuperação, inclusive por meio de programas emergenciais de proteção social e dinheiro por trabalho”, disse o documento.

Mais de 66.000 funcionários perderam seus trabalhos no ano passado, levando a um aumento da taxa de desemprego que atingiu 27,8 por cento.

O número total de empregados no mercado de trabalho caiu de 951 mil em 2019 para 884 mil em 2020.

“A resposta social terá como objetivo aumentar a resiliência da força de trabalho e a capacidade para melhores empregos por meio da melhoria da qualidade da educação e da saúde. Ela aumentará seu apoio às pequenas empresas e start-ups para retenção de empregos e continuidade de negócios.”

“Mais de 36 por cento dos jovens estão desempregados nos territórios palestinos, especialmente em Gaza com 66 por cento e até 91 por cento para as mulheres”, acrescentou Kanthan. “A nova estratégia vê a economia digital como um meio de garantir oportunidades econômicas significativas para os jovens e levar a uma sociedade mais engajada.”

Categorias
CoronavírusIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments