Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Itália pede que quatro oficiais do Egito sejam julgados no caso Regeni

Procissão de velas para o estudante italiano Giulio Regeni assassinado no Egito [Riccardo De Luca/Agência Anadolu]
Procissão de velas para o estudante italiano Giulio Regeni assassinado no Egito [Riccardo De Luca/Agência Anadolu]

Promotores italianos pediram ontem a um juiz que mande quatro importantes membros dos serviços de segurança do Egito para julgamento por seu suposto papel no desaparecimento e assassinato do estudante Giulio Regeni no Cairo em 2016, informou a Reuters.

Regeni, um estudante de pós-graduação na Universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha, desapareceu na capital egípcia em janeiro de 2016. Seu corpo foi encontrado quase uma semana depois e um exame post mortem mostrou que ele havia sido torturado antes de sua morte.

Os promotores italianos e egípcios investigaram o caso juntos, mas os dois lados se desentenderam e chegaram a conclusões muito diferentes.

Os promotores de Roma acusaram quatro oficiais do “sequestro qualificado” de Regeni e, além disso, afirmam que um deles, o major Magdi Sharif, da Inteligência Geral, deveria ser acusado de “conspiração por cometer assassinato qualificado”.

A polícia e as autoridades egípcias negaram qualquer envolvimento no assassinato de Regeni. Os promotores egípcios disseram no ano passado que “não apoiavam” as descobertas italianas e pediram que as acusações contra os quatro fossem removidas dos documentos do caso.

LEIA: Egito é o maior comprador de sistemas de armas da Itália, diz rede pela paz

Fontes judiciais italianas dizem que seus colegas egípcios não forneceram os endereços dos quatro suspeitos e nenhum deles deve comparecer a qualquer julgamento. Uma fonte disse que a Itália não emitiu mandados de prisão internacionais para eles.

Um juiz suspendeu a audiência preliminar de quinta-feira até 25 de maio, pois um dos advogados de defesa indicados pelo tribunal contraiu o coronavírus e não pôde comparecer. É improvável que um julgamento completo comece antes do recesso de verão.

Regeni estava no Cairo para pesquisar sindicatos independentes do Egito para sua tese de doutorado. Os associados dizem que ele também estava interessado no domínio de longa data da economia egípcia pelo Estado e pelos militares. Ambos os assuntos são delicados no Egito.

Categorias
ÁfricaEgitoEuropa & RússiaItáliaNotícia
Show Comments
Show Comments