Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Biden está sob pressão para reconhecer o massacre armênio como genocídio

O presidente dos EUA, Joe Biden, faz comentários sobre a economia nacional e a necessidade da legislação de alívio do coronavírus, em 5 de fevereiro de 2021, em Washington, DC [Stefani Reynolds-Pool/Getty Images]
O presidente dos EUA, Joe Biden, faz comentários sobre a economia nacional e a necessidade da legislação de alívio do coronavírus, em 5 de fevereiro de 2021, em Washington, DC [Stefani Reynolds-Pool/Getty Images]

Democratas e republicanos no Capitólio estão pressionando o presidente Biden para se tornar o primeiro presidente dos EUA a reconhecer o assassinato em massa de armênios pelo Império Otomano como um “genocídio” em 24 de abril, quando as comemorações anuais são realizadas em todo o mundo, relatou o LA Times.

Os armênios americanos, incluindo a grande diáspora no sul da Califórnia, lutaram por décadas para fazer o governo federal identificar a matança de anos durante a queda do Império Otomano como um genocídio.

Biden provavelmente usará a palavra “genocídio” durante seu discurso, diz o relatório.

O secretário de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse a repórteres ontem que a Casa Branca provavelmente teria “mais a dizer” sobre o assunto no sábado, mas não deu mais detalhes.

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, disse esta semana que “declarações sem vínculo legal não terão benefício, mas prejudicarão os laços […]. Se os Estados Unidos quiserem piorar os laços, a decisão é deles”.

LEIA: Irã opõe-se à presença de forças estrangeiras na Armênia

Categorias
ArmêniaÁsia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioTurquia
Show Comments
Show Comments