Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Segundo preenchimento da grande barragem etíope será na época de chuvas

Obras da Grande Represa do Renascimento, na Etiópia, 26 de dezembro de 2019 [Eduardo Soteras/AFP/Getty Images]

O Primeiro-Ministro da Etiópia Abiy Ahmed anunciou neste domingo (18) que o segundo preenchimento da Grande Represa do Renascimento será conduzido entre julho e agosto, temporada de chuvas na região, segundo informações da agência Anadolu.

A Etiópia revelou seu enorme projeto de US$5 bilhões em 2011 e a data original para conclusão das obras já ultrapassou quatro anos.

Não obstante, o governo etíope pretende testar duas das turbinas da barragem logo após o segundo preenchimento de seus reservatórios, previsto para reter 14 bilhões de metros cúbicos de água – com capacidade total de 70 bilhões de metros cúbicos.

Na última temporada de chuvas, o país africano aplicou 4.9 bilhões de metros cúbicos de água para dar início ao preenchimento da barragem.

A Grande Represa do Renascimento – megaprojeto hidrelétrico construído com recursos domésticos – deverá ter capacidade de gerar até 6.475 megawatts de energia para suprir a demanda comum e industrial da Etiópia.

O país também tem esperanças de aumentar seu fluxo de moeda estrangeira através da venda de eletricidade a estados vizinhos.

LEIA: ‘A internacionalização do arquivo da Barragem Renascentista não nos obrigará a aceitar o acordo colonial’, diz Etiópia

“Às vésperas do segundo preenchimento, a Etiópia está liberando mais água do estoque do último ano via válvulas de escape concluídas, conforme informação compartilhada”, declarou o premiê Abiy, condecorado com o Prêmio Nobel da Paz em 2019.

“O próximo preenchimento ocorrerá durante os meses de fortes chuvas, em julho e agosto, para garantir benefícios ao reduzir as enchentes no Sudão”, prosseguiu no Twitter.

“A Etiópia, ao desenvolver o Rio Abbay para suas necessidades, não tem qualquer intenção de prejudicar os países à jusante”, reiterou Abiy.

“As fortes chuvas do último ano permitiram o êxito do primeiro preenchimento da Grande Represa do Renascimento, à medida que a presença da barragem certamente impediu violentas inundações no vizinho Sudão”.

O Ministro de Águas e Energia da Etiópia Seleshi Bekele confirmou ainda: “As obras de dois escapes inferiores da barragem, para liberar água rio abaixo, foram concluídas, testadas e estão operacionais. Tais escapes têm capacidade de dissipar todo o fluxo anual do Abbay”.

“Concedemos garantias de que o fluxo de águas a jusante não será interrompido em momento algum”, enfatizou o ministro etíope.

Egito e Sudão pressionam pela assinatura de um “acordo vinculativo” sobre as regras e procedimentos do preenchimento e das atividades da represa, construída na bacia hidrográfica do Nilo. A Etiópia insiste que as diretrizes atuais são suficientes.

Uma Carta de Princípios, assinada em 2015 pelos três países, reconhece a demanda etíope pelo projeto à medida que os três estados vizinhos negociem pormenores.

O segundo preenchimento da barragem é parte das obras em curso e deverá permitir à Etiópia que teste suas turbinas.

LEIA: Negociações sobre a barragem do Nilo devem se concentrar no enchimento, diz Etiópia

Categorias
ÁfricaEgitoEtiópiaNotíciaSudão
Show Comments
Show Comments