Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Negociações sobre a barragem do Nilo devem se concentrar no enchimento, diz Etiópia

Um trabalhador desce uma escada de construção na Grande Barragem da Renascença Etíope, na Etiópia, em 26 de dezembro de 2019 [Eduardo Soteras/AFP/Getty Images]

A Etiópia hoje reiterou sua posição de que o diálogo trilateral sobre a Grande Barragem da Renascença Etíope deve se concentrar no enchimento e na operação, conforme divulgou a Agência Anadolu.

A Etiópia já anunciou que quase 80 por cento das obras em sua barragem hidrelétrica de $ 5 bilhões em um dos principais afluentes do Nilo Azul foram concluídas.

A nação do Chifre da África, de 110 milhões de habitantes, planeja testar duas turbinas logo após a próxima estação chuvosa – junho, julho, agosto – para aumentar o volume do reservatório para 18 bilhões de metros cúbicos.

Em uma coletiva de imprensa semanal, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Dina Mufti, disse que a Etiópia a levou para Kinshasa, capital da República Democrática do Congo (RDC), na semana passada, após sua forte convicção sobre “soluções africanas para os problemas africanos”.

No entanto, a rodada de negociações de Kinshasa entre os três países – Etiópia, Egito e Sudão – não trouxe progresso, pois os países a jusante queriam tirar a mediação das mãos da União Africana (UA), informou a emissora local FANA ao citar Dina.

A Etiópia nunca aceitará tais pressões

ela disse.

Dina acrescentou: “O Egito não deixou pedra sobre pedra em sua tentativa de levar o assunto a países e instituições que considere amigáveis; fê-lo durante a presidência da UA [2019] até a RDC”.

A Etiópia, disse ela, não aceitaria a ideia de trazer outros atores em pé de igualdade com a UA como mediadores.

LEIA: O Nilo ainda é rei no Egito?

O Sudão propôs anteriormente que os EUA, a UE e o Banco Mundial deveriam se juntar como mediadores, uma proposta que o Egito apoiou e a Etiópia rejeitou.

Falando sobre as crescentes tensões na fronteira com o Sudão, disse ele, a ala militar sudanesa está promovendo uma missão de terceiros contra a Etiópia.

Ele disse que seu país está analisando atentamente o apelo feito pelo primeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok, de que os dois países conversem a portas fechadas.

A Etiópia está conclamando a comunidade internacional a pressionar o Sudão a retirar suas tropas dos territórios ocupados da Etiópia.

Etiópia renova compromisso com a mediação da UA em negociações sobre barragens [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
ÁfricaEgitoEtiópiaNotíciaSudão
Show Comments
Show Comments