Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ex-premier do Catar diz que crise na Jordânia foi armada por Trump com um país da região

O ex-primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Catar Hamad Bin Jassim [Wikipedia]

As recentes tensões na Jordânia foram orquestradas pela administração do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump e de um dos países da região, disse o ex-primeiro-ministro do Catar, xeque Hamad Bin Jassim Bin Jaber Al Thani, indicando que havia um desejo de derrubar o rei Abdullah II devido ao seu posicionamento sobre a normalização dos laços com Israel.

Levando ao Twitter, o governante do Catar escreveu: “O que aconteceu recentemente no reino irmão Hachemita da Jordânia foi planejado há muito tempo por alguns funcionários do governo anterior dos Estados Unidos e um dos países da região com o objetivo de substituir o atual regime na Jordânia sob a liderança do Rei Abdullah II. ”

Bin Jassim considerou que a principal razão por trás dessa tentativa fracassada foi a posição do rei contra qualquer processo de normalização às custas da causa palestina, ou o que veio a ser chamado de Acordos de Abraão.

Bin Jassim enfatizou que a estabilidade da Jordânia é muito importante para o Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), observando que apoiar a estabilidade do regime governante na Jordânia é um dever, “porque precisamos de mais estabilidade e credibilidade em nossa região para servir aos nossos interesses”.

Esta é a primeira declaração emitida por um alto funcionário do Golfo sobre a suposta tentativa de golpe na Jordânia, que levou à detenção de altos funcionários do governo e do meio-irmão do rei.

Há dois dias, o monarca jordaniano anunciou o fim da disputa que ocorreu entre o rei e seu meio-irmão.

LEIA: Escritório de direitos da ONU está preocupado com prisões na Jordânia

Categorias
CatarEstados UnidosJordâniaNotícia
Show Comments
Show Comments