Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Príncipe entrou em contato com ‘partidos estrangeiros’ sobre conspiração para desestabilizar país, diz Jordânia

O príncipe herdeiro da Jordânia, Hamzeh bin al-Hussein, recebe líderes tribais beduínos durante o lançamento de um casamento em 26 de maio de 2004, em Amã, Jordânia. [Salah Malkawi/Getty Images]
O príncipe herdeiro da Jordânia, Hamzeh bin al-Hussein, recebe líderes tribais beduínos durante o lançamento de um casamento em 26 de maio de 2004, em Amã, Jordânia. [Salah Malkawi/Getty Images]

O vice-primeiro-ministro da Jordânia, Ayman Safadi, disse no domingo que o meio-irmão do rei Abdullah e ex-herdeiro do príncipe Hamza havia feito contato com partes estrangeiras por causa de um complô para desestabilizar o país e estava sob investigação há algum tempo, informou a Reuters.

No sábado, os militares disseram que emitiram um alerta ao príncipe sobre as ações que visam “segurança e estabilidade” do principal aliado dos EUA. O príncipe Hamza disse mais tarde que estava em prisão domiciliar. Várias figuras importantes também foram detidas.

“As investigações monitoraram interferências e comunicações com partes estrangeiras sobre o momento certo para desestabilizar a Jordânia”, disse Safadi.

Entre elas, uma agência de inteligência estrangeira contatou a esposa do príncipe Hamza para organizar um avião para o casal deixar a Jordânia, disse ele.

“As investigações iniciais mostraram que essas atividades e movimentos atingiram um estágio que afetou diretamente a segurança e estabilidade do país, mas sua majestade decidiu que era melhor falar diretamente com o príncipe Hamza, para lidar com isso dentro da família para evitar que fosse explorado”, ele disse.

LEIA: Arábia Saudita apoia Jordânia sobre prisão de ex-príncipe herdeiro

Os acontecimentos devem abalar a imagem de Jordânia como uma ilha de estabilidade no turbulento Oriente Médio. O rei Abdullah removeu o príncipe Hamza de sua posição como herdeiro do trono em 2004, em um movimento que consolidou seu poder.

Embora tenha sido marginalizado por anos, o príncipe Hamza irritou as autoridades ao forjar laços com figuras descontentes de tribos poderosas.

Essas pessoas, membros de grupos de oposição pouco organizados conhecidos como Herak e uma oposição vocal baseada no exterior, têm convocado nas últimas semanas protestos contra a corrupção em um país duramente atingido pelo impacto da covid-19 na economia, levando o desemprego a níveis recordes e aprofundamento da pobreza.

Anteriormente, a mãe de Hamza, Rainha Noor, viúva do falecido rei da Jordânia, defendeu seu filho.

“Orar para que a verdade e a justiça prevaleçam para todas as vítimas inocentes dessa calúnia perversa”, escreveu ela no Twitter. “Deus os abençoe e mantenha-os seguros.”

Safadi disse que os serviços de segurança pediram que os envolvidos no complô sejam encaminhados ao tribunal de segurança do estado.

LEIA: Ex-príncipe herdeiro da Jordânia denuncia prisão por incitar suposto ‘levante popular’

Os vizinhos e aliados da Jordânia expressaram solidariedade ao rei Abdullah sobre as medidas de segurança no reino, um importante aliado dos Estados Unidos.

Ecoando declarações de apoio de outros aliados e vizinhos da Jordânia, o rei marroquino Mohammed VI realizou uma ligação telefônica com o rei Abdullah II na qual expressou solidariedade e apoio às medidas de segurança do país, disse o palácio real de Marrocos no domingo.

Algumas figuras da oposição se uniram em torno do príncipe Hamza em um movimento que desagradou o rei, disseram autoridades familiarizadas com a situação.

Contudo, a maioria dos políticos acredita que o príncipe Hamza será silenciado, com poucas perspectivas de ele representar qualquer ameaça, visto que o exército e as forças de segurança que são a espinha dorsal do apoio à dinastia Hachemita estão firmemente apoiando o monarca.

“Acho que o rei Abdullah se confirmou na sela e seu filho Hussein se consolidou como herdeiro do trono”, disse Jawad al Anani, que serviu como último chefe da corte real sob o falecido rei Hussein. “Este é um evento para virar a página.”

LEIA: Príncipe da Jordânia promete descumprir ordens militares para silenciá-lo

Categorias
JordâniaNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments