Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Vizinhos e aliados da Jordânia expressam apoio a ações de segurança

Príncipe jordaniano Hamzah bin al-Hussein (à esquerda), presidente do Clube Real de Esportes Aéreos da Jordânia, e sua esposa, princesa Basma, em evento de imprensa para anunciar o projeto ‘Skydive Jordan’, no deserto de Wadi Rum, 19 de abril de 2011 [Khalid Mazraawi/AFP via Getty Images]
Príncipe jordaniano Hamzah bin al-Hussein (à esquerda), presidente do Clube Real de Esportes Aéreos da Jordânia, e sua esposa, princesa Basma, em evento de imprensa para anunciar o projeto ‘Skydive Jordan’, no deserto de Wadi Rum, 19 de abril de 2011 [Khalid Mazraawi/AFP via Getty Images]

Vizinhos e aliados da Jordânia reagiram em apoio a ações do exército da monarquia hachemita que resultaram na prisão do ex-príncipe herdeiro Hamzah bin Hussein, meio-irmão do Rei Abdullah, por suposta conspiração contra a “segurança e estabilidade” do país.

As informações são da agência Reuters.

Em declaração publicada pela imprensa estatal, o exército jordaniano alegou que a operação é parte de uma ampla investigação de segurança na qual um ex-ministro, um membro da família real e outros indivíduos não identificados foram detidos.

A seguir, reações internacionais:

Estados Unidos

“Acompanhamos de perto os relatos em contato com oficiais jordanianos. O Rei Abdullah é um parceiro fundamental dos Estados Unidos e tem nosso pleno apoio”, declarou Ned Price, porta-voz do Departamento de Estado em Washington, por email.

Arábia Saudita

“A monarquia reitera seu pleno apoio, em todas as suas capacidades, a todas as decisões e medidas tomadas pelo Rei Abdullah e Sua Alteza Al Hussein bin Abdullah II, príncipe herdeiro, para manter a estabilidade e segurança nacional”, afirmou a corte real saudita, em nota.

Em comunicado distinto, o Ministro de Relações Exteriores Faisal bin Farhan Al Saud descreveu a estabilidade e prosperidade da Jordânia como “base para a estabilidade e prosperidade para toda a região” e prometeu apoio “firme e duradouro” ao regime aliado.

Emirados Árabes Unidos

O Ministério de Assuntos Presidenciais destacou o pleno apoio emiradense a todas as decisões e medidas tomadas pelo Rei Abdullah e seu príncipe herdeiro, a fim de preservar a segurança jordaniana e “neutralizar qualquer tentativa de impactar o país”.

Anwar Gargash, ex-chanceler e assessor de diplomacia da presidência dos Emirados, alegou no Twitter: “A sábia política jordaniana para construir pontes em uma região turbulenta jamais foi uma escolha fácil, mas sempre foi – e continua – a direção necessária”.

Egito

O Egito expressou apoio ao Rei Abdullah e seus esforços para “manter a segurança e estabilidade do reino contra quaisquer tentativas de sabotá-lo”, escreveu no Facebook o porta-voz da presidência do general Abdel Fattah el-Sisi.

Omã

O Ministério de Relações Exteriores de Omã declarou em nota apoio absoluto à Jordânia sob liderança do Rei Abdullah, em nome da segurança, soberania e estabilidade do país.

Bahrein

O Rei Hamad bin Isa Al Khalifa destacou seu pleno apoio às decisões e medidas de sua contraparte jordaniana para conservar a estabilidade e segurança nacional e “frustrar qualquer tentativa disruptiva”, segundo a agência estatal de notícias BNA.

Conselho de Cooperação do Golfo

Em comunicado oficial, Nayef Falah Mubarak al-Hajraf, secretário-geral do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), enfatizou o apoio do bloco a todas as decisões e medidas do Rei Abdullah para preservar a segurança e estabilidade da Jordânia.

Líbano

“A segurança da Jordânia é base fundamental à segurança do mundo árabe”, alegou o premiê designado Saad Hariri, em sua página do Twitter. “Toda solidariedade à liderança jordaniana e ao Rei Abdullah, em sua defesa aos ganhos do povo jordaniano, sua estabilidade e resistência à interferência em assuntos nacionais”.

Kuwait

A chancelaria kuwaitiana expressou apoio às ações do Rei Abdullah e seu príncipe herdeiro para salvaguardar a segurança e estabilidade da Jordânia.

Iraque

“O governo iraquiano reitera seu apoio ao Reino Hachemita da Jordânia, sob liderança de Sua Majestade Rei Abdullah II, em toda e qualquer medida tomada para preservar a segurança e estabilidade do país e cuidar dos interesses do povo jordaniano, de modo a melhorar sua presença e estender o respeito ao estado”, declarou a chancelaria iraquiana.

Catar

O Catar expressou sua absoluta solidariedade à Jordânia e apoio às decisões emitidas pelo monarca, a fim de preservar a estabilidade e segurança nacional, e implementar atos de progresso e prosperidade a toda a região, alegou a agência estatal de notícias QNA.

Segundo o regime catariano, as relações bilaterais estratégicas com Amã “permanecerão como forte e honesto bastião contra qualquer tentativa de sabotar a segurança e estabilidade de ambos os países e de toda a região”.

Iêmen

O governo reconhecido internacionalmente de Abd Rabbuh Mansur Hadi, aliado saudita, reiterou seu “apoio absoluto a todas as decisões e medidas de Sua Majestade Rei Abdullah, com o objetivo de conservar a segurança e frustrar todas as tentativas de desestabilizar o Reino da Jordânia”, segundo informações da agência estatal Saba.

Autoridade Palestina

“O Presidente da Autoridade Palestina declarou apoio à nação irmã do Reino Hachemita da Jordânia, seu monarca, governo e povo”, reportou a agência de notícias palestina Wafa.

“Apoiamos as decisões tomadas pelo Rei Abdullah II para preservar a segurança jordaniana e garantir sua estabilidade e união”, declarou em nota o governo sob ocupação. “Destacamos que a segurança e estabilidade da Jordânia é de supremo interesse palestino”.

Liga Árabe

“O secretário-geral da Liga Árabe [Ahmed Aboul Gheit] expressou plena solidariedade às medidas da liderança jordaniana para preservar a segurança e estabilidade do reino”, declarou em nota a aliança regional, em sua página do Facebook.

“[Gheit] destacou sua confiança na razão e vontade da liderança jordaniana em assegurar a estabilidade nacional em respeito à constituição e à lei”.

Turquia

O Ministério de Relações Exteriores da Turquia expressou apoio ao Rei Abdullah e reiterou observar os acontecimentos regionais com preocupação.

“Não enxergamos a estabilidade e tranquilidade da Jordânia, país fundamental à paz no Oriente Médio, separadamente da estabilidade de tranquilidade da Turquia”, afirmou. “Nesta conjuntura, expressamos nosso forte apoio ao Rei Abdullah II e ao regime jordaniano, em nome da paz e bem-estar do povo amigo e irmão da Jordânia”.

LEIA: Ex-príncipe herdeiro da Jordânia denuncia prisão por incitar suposto ‘levante popular’

Categorias
ÁfricaArábia SauditaBahreinCatarCCGEAUEgitoEstados UnidosEuropa & RússiaIêmenIraqueJordâniaKuwaitLíbanoNotíciaOriente MédioPalestinaTurquia
Show Comments
Show Comments