Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel diz que pode enviar respiradores ao Líbano

Equipe médica, tratando pacientes que sofrem da doença por coronavírus (COVID-19) em um hospital na capital libanesa, Beirute, em 7 de abril de 2020 [Joseph Eid/ AFP / Getty Images]
Equipe médica, tratando pacientes que sofrem da doença por coronavírus (COVID-19) em um hospital na capital libanesa, Beirute, em 7 de abril de 2020 [Joseph Eid/ AFP / Getty Images]

Israel ofereceu aos hospitais no Líbano respiradores para tratar pacientes com coronavírus, informou a Israeli Broadcasting Corporation (Kan).

Kan disse que o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Professor Hayzi Levy, fez a oferta após relatos de uma grave escassez de tais dispositivos no Líbano.

Levy destacou que Israel já havia se oferecido para ajudar o governo libanês após a explosão do porto de Beirute, por meio de canais estrangeiros, já que os dois países não têm relações diplomáticas, mas Beirute recusou.

Na quarta-feira, o Líbano registrou 3.856 novos casos de infecções por coronavírus e 53 mortes, elevando o número total de infecções para 448.721 casos e 5.903 mortes.

Nesta sexta-feira, o país recebeu um primeiro lote de vacinas russas importadas por empresas, cerca de 50 mil doses da vacina Sputnik V, tornando o Líbano uma das poucas nações onde o lançamento da vacina está sendo impulsionado por iniciativas do setor privado, conforme informação do Arab News. O pais de cerca de seis milhões de pessoas, incluindo um milhão de refugiados sírios, recebeu até agora, de acordo com o Ministério da Saúde libanês, 224.640 doses da Pfizer-BioNTech e também começou a receber vacinas da AstraZeneca esta semana, com 33.600 doses que chegaram na quarta-feira.

As vacinas da Pfizer são financiadas pelo Banco Mundial, enquanto as vacinas da AstraZeneca são fornecidas pelo programa Covax apoiado pela ONU.

LEIA: Palestina enfrenta perigosa situação de covid19

Categorias
CoronavírusIsraelLíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments