Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã formará pacto de defesa e segurança ‘OTAN’ com aliados

Oficiais militares iranianos inspecionam a base subterrânea de mísseis construída na costa do Golfo Pérsico no sul do Irã de Hormozgan em 8 de janeiro de 2021 [Sepahnews - Folheto / Agência Anadolu]
Oficiais militares iranianos inspecionam a base subterrânea de mísseis construída na costa do Golfo Pérsico no sul do Irã de Hormozgan em 8 de janeiro de 2021 [Sepahnews - Folheto / Agência Anadolu]

O parlamento iraniano anunciou ontem que está preparando um projeto de resolução sobre um “tratado de defesa e segurança para o Eixo da Resistência”, que assinará com seus aliados, Estados e atores não estatais.

Embora já exista uma aliança informal, o objetivo do tratado “ao estilo da OTAN” é obrigar os membros a responder coletivamente a qualquer ataque a qualquer membro por parte de Israel ou de outros Estados hostis.

Diz-se que os membros do “Eixo de Resistência” incluem o Irã, a Síria, o Hezbollah do Líbano, o governo do Iêmen liderado pelos Houthi, as Forças de Mobilização Popular do Iraque (PMF), o Hamas e a Jihad Islâmica Palestina.

De acordo com a agência de notícias Fars, o deputado do parlamento iraniano, Abu Fadl Abu Trabi, disse que atualmente se está trabalhando para coletar as assinaturas necessárias para que o projeto de resolução seja aprovado para discussão e votação.

LEIA: Irã lança mísseis de longo alcance no Oceano Índico em exercício militar

“Quando Israel ataca um dos países da Frente de Resistência ou se Israel toma alguma ação contra este eixo”, explicou ele, “os outros estados membros do grupo devem exercer todos os seus esforços nos aspectos militares, econômicos e políticos para afastar o ameaça.”

Enquanto isso, o Russia Today Arabic informou que o parlamento de Teerã propôs um projeto de lei obrigando os sucessivos governos iranianos a “tomar as medidas necessárias que levem à eliminação de Israel até março de 2041”. Também proíbe “quaisquer negociações com os Estados Unidos da América sobre questões não nucleares” e tem um artigo que estipula que o Irã deve trabalhar para remover as forças dos EUA da região.

O projeto de lei é intitulado “As condições para negociar com Washington e apoiar os aliados de Teerã”. Possui 16 artigos que estabelecem a necessidade de trabalhar para quebrar o bloqueio israelense à Faixa de Gaza, o “retorno a Jerusalém” e a “libertação do Golã [sírio]”. O projeto também obriga Teerã a fornecer ajuda humanitária e provisões uma vez a cada três meses ao Iêmen.

LEIA: Tentativa de Pompeo ligar Irã à Al-Qaeda revela que “pressão máxima” falhou

Categorias
IêmenIrãIraqueLíbanoNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments