Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Jordânia está entre primeiros a fornecer a vacina de covid-19 para refugiados

Refugiado sírio com máscara e baseado na Jordânia chega a bordo de um ônibus para receber uma dose de vacinação contra a covid-19 em um centro médico governamental em Mafraq, no norte da Jordânia, em 18 de janeiro de 2021. [Khalil Mazraawi/AFP via Getty Images]
Refugiado sírio com máscara e baseado na Jordânia chega a bordo de um ônibus para receber uma dose de vacinação contra a covid-19 em um centro médico governamental em Mafraq, no norte da Jordânia, em 18 de janeiro de 2021. [Khalil Mazraawi/AFP via Getty Images]

A Jordânia começou a distribuir vacinas contra a covid-19 para refugiados registrados na ONU, tornando-se um dos primeiros países do mundo a fazê-lo. A iniciativa faz parte da campanha de vacinação nacional da Jordânia lançada na semana passada e dentro da qual todos os cidadãos, refugiados e requerentes de asilo são elegíveis, gratuitamente.

De acordo com o Conselho de Direitos Humanos da ONU (UNHRC), o primeiro lote de refugiados foi vacinado na última quinta-feira (14). Quarenta e três iraquianos e sírios receberam suas doses nas cidades de Irbid e Mafraq no norte da Jordânia.

“Muitos mais se inscreveram”, disse o porta-voz do UNHRC, Francesco Burt, à emissora Voice of America, financiada pelo governo dos EUA. “Há um portal do governo onde todos precisam se registrar. Até agora, cerca de 250.000 pessoas se inscreveram, incluindo refugiados.”

LEIA: Campos de refugiados contém vítimas ocultas do covid-19

A eficácia do programa, acrescentou, depende muito da disponibilidade das doses. “O governo jordaniano tem cerca de 3 milhões de doses até agora. Ele planeja cobrir cerca de 25% da população nos próximos meses.”

Centenas de milhares de refugiados de áreas de conflito no Oriente Médio, como Síria, Iraque, Iêmen, Gaza e Líbia, se estabeleceram na Jordânia ao longo dos anos, tornando-os um grupo demográfico significativo dentro do país. Aproximadamente 80% desses refugiados vivem em áreas urbanas e estão sendo vacinados em clínicas de saúde locais.

O UNHRC disse que está trabalhando em estreita colaboração com o Ministério da Saúde da Jordânia para fornecer e administrar vacinas a sírios que vivem em campos de refugiados como Zaatari e Azraq.

No entanto, Amã e a ONU expressaram a necessidade de financiamento de ajuda adicional para atingir suas metas, com a agência da ONU, pedindo aproximadamente mais US $ 370 milhões.

LEIA: UNRWA e refugiados palestinos são os próximos alvos de acordos de normalização com Israel

Categorias
CoronavírusJordâniaNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments