Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Passaportes do Oriente Médio são os menos poderosos do mundo, segundo ranking global

Passaporte Iemenita, 6 de março de 2019
Passaporte Iemenita, 6 de março de 2019

Os passaportes do Oriente Médio tiveram uma classificação baixa no Henley Passport Index deste ano, que classifica os documentos de viagem de acordo com o número de destinos para os quais seus titulares podem viajar sem obter um visto antes da chegada.

A maioria dos estados da região ficaram na metade inferior do índice trimestral; com Síria, Iraque e Afeganistão disputando o último lugar.

O ranking também leva em consideração a compra de visto na chegada, autorização de visitante e Autorização Eletrônica de Viagem (AEV).

Os titulares de passaportes iraquianos e sírios começaram o ano com viagens sem visto e visto apenas na chegada para 28 e 29 países, respectivamente.

Somália e Iêmen estão apenas dois pontos acima, com 33 destinos.

Enquanto os passaportes dos Territórios Palestinos, Líbia, Sudão, Líbano, Irã e Sudão do Sul estão pairando em torno da marca de 40 destinos.

No topo da tabela, Argélia, Jordânia, Marrocos e Tunísia, ostentam entre 51 e 71 destinos sem visto cada um.

Vários estados, incluindo os Emirados Árabes Unidos e Bahrein, ganharam um destino a mais após a normalização dos laços com Israel no ano passado.

LEIA: Receita gerada pelo turismo no Egito caiu 67% em 2020

Apenas dois países da região, Turquia e Emirados Árabes Unidos (EAU), se classificaram na metade superior do índice.

Os EAU registraram o maior aumento no índice de passaportes deste ano, com a adição de dois destinos, subiram duas posições para a 16º.O Estado do Golfo assinou vários acordos de isenção mútua de visto no ano passado, quando as ofertas de viagens e vistos estavam em baixa.O passaporte dos Emirados subiu no ranking nos últimos dez anos, subindo 29 posições desde 2010.

Os portadores de passaporte dos Emirados podem agora visitar 171 países sem visto.Henley, no entanto, alertou aos leitores que as classificações não levam em consideração as restrições relacionadas à pandemia, que provavelmente têm precedência sobre as informações sobre vistos.

“Há apenas um ano, todas as indicações eram de que as taxas de mobilidade global continuariam a aumentar, que a liberdade de viagem aumentaria e que os portadores de passaportes poderosos teriam mais acesso do que nunca”, disse Christian Kaelin, presidente da Henley & Partners.”O bloqueio global negou essas projeções brilhantes e, à medida que as restrições começam a aumentar, os resultados do índice mais recente são um lembrete do que o poder do passaporte realmente significa em um mundo dominado pela pandemia.”

As classificações Henley são baseadas em dados coletados pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

Países com melhor classificação:

Japão

Cingapura

Coreia do Sul

Alemanha

Itália

LEIA: Erdogan diz que a Turquia quer melhores laços com Israel, mas ‘a política palestina é nossa linha vermelha’

Categorias
BahreinEAUIêmenIraqueIsraelNotíciaOriente MédioSomália
Show Comments
Show Comments