Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Trump rejeita US$ 1,3 bilhão em ajuda militar para o Egito

O presidente dos EUA, Donald Trump, organiza um comício de campanha em Lititz, Pensilvânia, em 26 de outubro de 2020 [Tayfun Coşkun/ Agência Anadolu]
O presidente dos EUA, Donald Trump, organiza um comício de campanha em Lititz, Pensilvânia, em 26 de outubro de 2020 [Tayfun Coşkun/ Agência Anadolu] ( Noah Riffe - Anadolu Agency )

O presidente dos EUA, Donald Trump, criticou um projeto de resolução aprovado pelo Congresso que inclui ajuda a países estrangeiros enquanto acusa o exército egípcio de usar a ajuda dos EUA para comprar equipamento militar da Rússia.

O projeto de resolução aprovado pelo Congresso na segunda-feira e rejeitado por Trump inclui o plano de recuperação econômica na pandemia do coronavírus.

Trump disse, em uma mensagem de vídeo da Casa Branca, transmitida no Twitter ontem à noite, que “este projeto contém US$ 85,5 milhões para assistência ao Camboja, US$ 134 milhões para a Birmânia, US$ 1,3 bilhão para o Egito e para o militares egípcios que sairão e comprarão, quase exclusivamente, equipamento militar russo. ”

Ele continuou: “O projeto de resolução é chamado de Lei do Alívio à Covid (Covid Relief Bill), mas não tem quase nada a ver com covid.”

“O Congresso encontrou bastante dinheiro para países estrangeiros, lobistas e interesses especiais enquanto enviava o mínimo necessário que os americanos precisavam. Não foi culpa deles, foi culpa da China. Não foi culpa deles.”

Esperava-se que Trump, que deixava o cargo em 20 de janeiro, assinasse o novo projeto de resolução aprovado pelo Congresso, mas ele o rejeitou sob o pretexto de que o dinheiro deveria ser gasto com os americanos que sofrem. Ele passou a descrever o projeto como uma “desgraça”.

Ele pediu ajustes no novo orçamento, que totalizou US$ 900 bilhões, para aumentar o valor do estímulo para os americanos de US$ 600 por pessoa para US$ 2.000 para indivíduos ou US$ 4.000 para casais.

Sob o título de “Aquisições em toda a defesa”, a lei também detalhou um total de US$ 500 milhões para os “Programas Cooperativos Israelenses”.

Desse montante, “US$ 73.000.000 serão destinados pelo Secretário de Defesa ao Governo de Israel para a aquisição do sistema de defesa Iron Dome para conter as ameaças de foguetes de curto alcance”, disse o documento.

LEIA: Direitos humanos ficam em segundo plano nas relações Cairo-Paris

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasEgitoEUANotícia
Show Comments
Show Comments