Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

BDS reprova Bahrein por aceitar mercadorias de assentamentos ilegais de Israel

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi (esq.) cumprimenta, com batida do cotovelo, o ministro das Relações Exteriores do Bahrein, Abdullatif bin Rashid Al Zayan (R), na chegada ao Aeroporto Ben Gurion em Tel Aviv, Israel em 18 de novembro de 2020 [Ministério das Relações Exteriores de Israel / Agência Anadolu]
O ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi (esq.) cumprimenta, com batida do cotovelo, o ministro das Relações Exteriores do Bahrein, Abdullatif bin Rashid Al Zayan (R), na chegada ao Aeroporto Ben Gurion em Tel Aviv, Israel em 18 de novembro de 2020 [Ministério das Relações Exteriores de Israel / Agência Anadolu]

O movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) criticou, na sexta-feira, o reconhecimento pelo Bahrein de mercadorias vindas de assentamentos ilegais como “crimes de guerra”, informou a Quds Press.

O ministro do Comércio e Turismo do Bahrein, Zayed Al-Zayani, anunciou que seu país não boicotaria os produtos dos assentamentos israelenses construídos em terras palestinas e os trataria de maneira semelhante à que trata com produtos fabricados em Israel.

O coordenador do BDS, Mahmoud Nawajaa, expressou em resposta: “Este é um desvio flagrante da postura árabe e islâmica e torna o Bahrein, de acordo com o direito internacional, envolvido em crimes israelenses.”

Falando à Agência Anadolu, Nawajaa também declarou: “A construção de assentamentos por Israel em terras palestinas ocupadas em 1967 é um crime de guerra”, apontando que o reconhecimento desses assentamentos pelo Bahrein “o torna um participante na perpetração de crimes de guerra contra o povo palestino. ”

LEIA: Ministro do Bahrein diz que seu país e Israel estão na mesma frente contra o Irã

Nawajaa diz que esta medida “revela até que ponto o Bahrein está cumprindo a agenda da atual administração dos Estados Unidos e a do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu”.

Ele concluiu: “Estamos confiantes de que o povo do Bahrein vai boicotar todos os produtos israelenses, não apenas os dos assentamentos.”

Em 15 de setembro, os Emirados Árabes Unidos eo Bahrein assinaram acordos de normalização com Israel. No dia 23 de outubro, o Ministério das Relações Exteriores do Sudão também anunciou a normalização dos laços com Israel.

Em 2016, o Conselho de Segurança das Nações Unidas considerou “ilegais” os assentamentos israelenses construídos em terras palestinas ocupadas em 1967.

A maioria dos países europeus não trata os produtos dos assentamentos da mesma forma que os produtos israelenses. Eles não aceitam que sejam rotulados como sendo produzidos em Israel.

LEIA: Normalização com Israel incluiu a submissão dos Emirados à humilhação deliberada

Categorias
BahreinIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments