Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

China reage a sanções dos EUA contra empresa que vende tecnologia à Venezuela

Hua Chunying [David Plas/cc-by-2.0./Friends of Europe]
Hua Chunying [David Plas/cc-by-2.0./Friends of Europe]

A agência Russia Today (RT) divulgou hoje ( 1º) a reação Ministério das Relações Exteriores da China contra as sanções impostas pelos Estados Unidos contra sua estatal China National Electronics Import & Export Corporation (CEIEC), pela ligação mantida pela empresa com a Venezuela.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, considerou as sanções um “abuso” e prometeu a adoção das medidas necessárias para proteger os interesses e direitos da empresa e instou Washington a levantar as restrições impostas.

LEIA: Irã reitera cooperação militar contínua com a Venezuela

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos afirma que a CEIEC foi incluída na lista de Controle de Ativos Estrangeiros por ter fornecido “software, treinamento e experiência técnica a entidades governamentais venezuelanas, que posteriormente foram utilizadas contra o povo venezuelano”.

A nota diz também que a China fornece suporte cibernético, com especialistas técnicos, à empresa nacional de telefones da Venezuela CANTV, o principal provedor de serviços de Internet no país sul-americano.

O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela rechaçou a sanções contra a CEIEC, que considera “uma medida desesperada de um governo frustrado e moribundo”.

O objetivo, segundo a Venezuela, é criar dificuldades para a população às vésperas das eleições parlamentares. Mas que os EUA não conseguirão, com isso, impedir a realização dessas eleições em 6 de dezembro.

Hua Chunying afirmou à RT que Pequim apoia os esforços de Caracas para defender sua soberania.

LEIA: Ministro do Irã diz na Venezuela que os EUA não ‘controlam mais o mundo

Categorias
América LatinaÁsia & AméricasBrasilChinaEstados UnidosNotíciaVenezuela
Show Comments
Show Comments