Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Hamas condena a detenção de seus líderes por Israel na Cisjordânia

Movimento de Resistência Islâmica - Hamas
Movimento de Resistência Islâmica - Hamas

O Movimento de Resistência Palestina, Hamas, condenou na sexta-feira a campanha de detenções de Israel contra seus líderes na Cisjordânia ocupada, anunciou um comunicado.

As prisões, conforme um comunicado do movimento, tiveram como alvo “ lideranças dirigentes que reiteraram que a parceria nacional e a unidade são as bases para o confronto da ocupação e seus planos”.

O comunicado afirma que a maioria dos líderes do Hamas passou dezenas de anos dentro das prisões de ocupação israelense: “E permaneceram firmes em suas posições em relação à resistência da ocupação.”

O Hamas saudou os palestinos, que continuam enfrentando a ocupação israelense na Cisjordânia ocupada, enfatizando que suas ações contra a ocupação refletem a vontade dos palestinos de aderir à resistência como a escolha mais eficaz para resistir à ocupação.

LEIA: Especialistas da ONU basicamente dizem ‘Israel não é uma democracia’

Na madrugada de sexta-feira, as forças de ocupação de Israel realizaram uma campanha de detenção em larga escala contra líderes do Hamas na cidade ocupada de Jenin, na Cisjordânia.

Os líderes mais proeminentes do Hamas em Jenin, Abdul-Jabbar Jarrar e Ibrahim Nawahdeh, estavam entre os detidos.

Grupos de direitos humanos dizem que há 4.500 palestinos dentro das prisões israelenses, incluindo 40 mulheres e cerca de 170 crianças, além de aproximadamente 370 sob detenção administrativa.

A declaração observou que “os líderes e membros do Hamas permanecerão na linha de frente, defendendo os princípios dos palestinos”.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments