Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Universidades dos EUA aprovam resoluções pró-BDS contra o apartheid de Israel

Ativistas de direitos humanos exibem cartazes contra o apartheid israelense e a ocupação na Palestina, em Nova Iorque, Estados Unidos, 25 de outubro de 2017 [Volkan Furuncu/Agência Anadolu]
Ativistas de direitos humanos exibem cartazes contra o apartheid israelense e a ocupação na Palestina, em Nova Iorque, Estados Unidos, 25 de outubro de 2017 [Volkan Furuncu/Agência Anadolu]

O movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) conquistou uma dupla vitória dentro de uma semana, após duas universidades dos Estados Unidos aprovarem resoluções por desinvestimento a Israel.

A Universidade de Illinois em Urbana-Champaign (UIUC) e a Universidade de Columbia juntaram-se a diversas outras instituições de ensino superior para repudiar a cumplicidade com as práticas de apartheid impostas pelo Estado de Israel ao povo palestino.

O corpo estudantil da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, aprovou um referendo na terça-feira (29), elaborado pelo grupo de Desinvestimento do Apartheid da Universidade de Columbia (CUAD), entidade formada em 2016.

O referendo questionou: “A Universidade de Columbia deve desinvestir suas ações, fundos e recursos de empresas que lucram ou engajam-se com atos do Estado de Israel, cometidos contra palestinos, considerados pelos termos de Desinvestimento do Apartheid da Universidade de Columbia como violação à Convenção Internacional de Supressão e Pena do Crime de Apartheid das Nações Unidas?”

LEIA: Ex-diplomata da ONU conclama apoio global à causa da Palestina

A consulta revelou que 61% do corpo discente da universidade aprova o desinvestimento de empresas cúmplices dos crimes israelenses contra a população civil palestina. Outros 27% rejeitaram a resolução e 11% se abstiveram, segundo números divulgados pela rede de notícias Jewish Telegraphic Agency (JTA).

Contudo, apesar do apoio amplo ao plano de desinvestimento contra Israel, o Presidente da Universidade de Columbia Lee Bollinger emitiu uma nota distanciando a instituição da resolução aprovada.

“A Universidade não deve mudar suas políticas de investimento com base em visões particulares sobre uma questão política complexa, especialmente quando não há consenso em toda comunidade universitária sobre o assunto”, alegou Bollinger.

A Universidade de Illinois em Urbana-Champaign aprovou resolução similar seis dias antes, reivindicando desinvestimento sobre uma série de empresas envolvidas em abusos de direitos humanos executados pela ocupação israelense em Gaza e Cisjordânia.

Entre as empresas mencionadas na resolução – intitulada “Violações de direitos humanos em investimentos universitários e forças policiais” – estão Northrop Grumman, Raytheon Company, Lockheed Martin, Caterpillar e Elbit Systems.

A resolução foi aprovada por conselho com 22 votos favoráveis, onze votos contrários e sete abstenções.

“Esta vitória significa muito para mim, tanto como palestina quanto estudante da UIUC”, afirmou Buthaina Hattab, co-autora da resolução. “Há um flagrante racismo contra palestinos entre estudantes e professores, empoderado e protegido pela administração da universidade.”

Sobre ambas as vitórias, até então, a coordenadora do movimento de BDS na América do Norte, Olivia Katbi, declarou: “Tais vitórias do BDS nos campi indicam uma onda de mudanças rápidas que vemos hoje em todo o território dos Estados Unidos.”

LEIA: Israel está frustrado com o fracasso para conter o movimento de BDS

Categorias
Ásia & AméricasBDSEstados UnidosIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments