Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Anistia diz que cinco mil refugiados foram expulsos da Líbia pelas milícia de Haftar

Refugiados e migrantes em um centro de detenção na Líbia [Foto de arquivo]
Refugiados e migrantes em um centro de detenção na Líbia [Foto de arquivo]

A milícia do General Khalifa Haftar expulsou à força mais de cinco mil refugiados em 2020, “, sem o devido processo legal ou a oportunidade de contestar a deportação”, aponta um relatório da Anistia Internacional.

A organização colheu depoimentos de migrantes e refugiados líbios, um dia depois que a Comissão Europeia (CE) anunciou um novo pacto para controlar a imigração ilegal em países europeus.

As forças de Haftar teriam justificado a deportação forçada alegando que os refugiados são portadores de doenças contagiosas. No entanto, não foram dados detalhes sobre o destino exato dos deslocados.

A Anistia Internacional criticou a política dos países da União Europeia (UE) de interceptar os refugiados líbios e devolvê-los aos seus países, dizendo: “Os migrantes na Líbia estão presos a um círculo vicioso de violações. Os refugiados arriscam suas vidas cruzando o mar em busca de proteção e segurança na Europa. Eles são então interceptados e enviados de volta para enfrentar o mesmo círculo vicioso de violações excessivas na Líbia. ”

LEIA: Naufrágio na costa da Líbia deixa vinte e quatro mortos

O relatório de direitos humanos confirmou que os países da UE continuam a: “Implementar políticas que cercam dezenas de milhares de homens, mulheres e crianças líbios em um círculo vicioso de violações, mostrando cruel desrespeito pela vida e pela dignidade das pessoas”.

Na quarta-feira, a CE anunciou um novo pacto de migração que servirá como um grande pilar para fortalecer a cooperação com países fora da UE, com o objetivo de controlar a imigração ilegal.

A presidente da CE, Ursula von der Leyen, afirmou em comunicado em Bruxelas que a Europa deve provar ao mundo que é capaz de administrar o assunto de migrantes e requerentes de asilo, como já havia administrado outras questões.

Devido à turbulência interna nos últimos anos, a Líbia se tornou o ponto de passagem mais importante para a Europa para migrantes africanos ilegais que fogem da pobreza e do conflito em seus países.

LEIA: ‘Sisi é o inimigo de Deus’, cantam no quarto dia de protestos contra o governo egípcio

Categorias
ÁfricaAnistia InternacionalLíbiaNotíciaOrganizações InternacionaisUnião Europeia
Show Comments
Show Comments