Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Dono do Chelsea doou milhões a grupo de colonos israelenses

Roman Abramovich, dono do clube de futebol inglês Chelsea, doou quase US $ 102 milhões para uma organização de colonos israelenses de extrema direita que desloca famílias palestinas da Jerusalém Oriental ocupada

De acordo com os documentos vazados, conhecidos como “Arquivos FinCEN”, quatro empresas administradas por Abramovich doaram US $ 100 milhões ao Elad, para comprar casas palestinas em Silwan e fortalecer a presença de colonos judeus israelenses lá.

Embora ele esteja frequentemente presente nos eventos de Elad, a extensão do envolvimento do proprietário do clube de futebol não havia sido revelada até que o conjunto de relatórios bancários do período entre 2000 e 2017 expôs suas transações financeiras e a informação da propriedade das empresas vazou, segundo a BBC News Arabic.

Classificado como a 113ª pessoa mais rica do mundo pela Forbes, Abramovich tem fortuna estimada em  US$ 12,2 bilhões e tornou-se cidadão israelense em 2018.

Nos últimos anos, ele comprou pelo menos três propriedades em Israel e se tornou o maior doador individual nos últimos quinze anos para a Elad, que também recebe apoio do governo israelense, acrescentou a BBC News Arabic.

Na semana passada, um tribunal israelense em Jerusalém ordenou que famílias palestinas evacuassem suas casas no bairro de Silwan, na cidade sagrada, para abrir caminho para colonos judeus israelenses.

LEIA: Emirados Árabes Unidos e Catar lutam para atrair Lionel Messi

O proprietário, Aref al-Qara’een, reivindicou-o em 2015 e vendeu-o secretamente para a organização de colonos Elad em 2017, que confiscou todo o edifício, exceto uma casa porque o residente é um “inquilino protegido”.

Em julho, soldados israelenses expulsaram uma mãe solteira e seus quatro filhos de sua casa em Silwan para entregá-la a Elad após uma batalha legal de 24 anos entre os residentes palestinos e a organização.

A atividade de assentamento em terras ocupadas é ilegal segundo o direito internacional.

Um porta-voz de Abramovich disse à BBC que ele está empenhado em apoiar a sociedade civil em Israel, bem como a comunidade judaica e, nos últimos 20 anos, contribuiu com mais de US$ 500 milhões para cuidados de saúde e educação em Israel e para comunidades judaicas em todo o mundo.

Categorias
Europa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaReino UnidosVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments