Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Secretário de Estado dos EUA faz o primeiro vôo direto de Israel para o Sudão

Primeiro vôo oficial direto de Israel para o Sudão [Mike Pompeo/ Twitter]
Primeiro vôo oficial direto de Israel para o Sudão [Mike Pompeo/ Twitter]

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visitou ontem a capital sudanesa, Cartum, chegando em um vôo direto de Tel Aviv, em Israel, em um movimento histórico.

Pompeo disse no Twitter que estava feliz por estar a bordo do primeiro vôo oficial direto de Israel para o Sudão.

O New York Times noticiou que o vôo entre o aeroporto Ben Gurion em Tel Aviv e Cartum ocorreu depois que o avião obteve permissão especial.

A correspondente do jornal em Jerusalém, Isabel Kershner, descreveu a permissão como “outro salto no caminho para a normalização com Israel”.

LEIA: Silenciados e esquecidos: palestinos e a cobertura midiática frente ao desastroso acordo EAU-Israel

“A excursão pelo Oriente Médio, organizada às pressas de Pompeo, programada para coincidir com a Convenção Republicana. Em outro salto em direção à normalização, seu avião obteve permissão para voar diretamente do Aeroporto Ben-Gurion para o Sudão. Próxima parada: Cartum ”, disse ela.

Israel e Sudão não têm relações diplomáticas. No entanto, muitos especularam que esse será o próximo país a normalizar os laços com o estado de ocupação depois que os Emirados Árabes Unidos anunciaram que o fizeram há duas semanas.

Pompeo também deve visitar os Emirados Árabes Unidos e Bahrein em sua excursão de cinco dias.

A agência de notícias estatal Suna disse que Pompeo se encontrará com o chefe do Conselho Soberano de Transição, Abdel-Fattah Al-Burhan, e o primeiro-ministro Abdalla Hamdok.

De acordo com a agência de notícias, as conversas se concentrarão no apoio dos EUA à transição democrática no Sudão, nas relações Israel-Sudão e na retirada do nome do Sudão da lista de patrocinadores estatais do terrorismo.

A visita de Pompeo é a primeira de um secretário de Estado dos EUA ao Sudão desde 2004.

LEIA: É hora de acabar com a impunidade de Israel

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasEUAIsraelNotíciaOriente MédioSudão
Show Comments
Show Comments