Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

‘O apartheid é um crime’, relata diplomata sueco sobre experiência na Palestina ocupada

“Apartheid é um crime – Retratos da ocupação israelense”, livro de Mats Svensson [Twitter]

Mat Stevensson é um ex-diplomata, autor e fotógrafo sueco. Dentre seus livros, está “Crimes, Victims, and Witnesses – Apartheid in Palestine” (“Crimes, Vítimas e Testemunhas – Apartheid na Palestina”, tradução livre).

Seu volume mais recente recebeu o título de “Apartheid is a Crime – Portraits of Israeli Occupation” (“Apartheid é um crime – Retratos da ocupação israelense”), recém publicado pela editora Cunepress, em Seattle, Estados Unidos.

Svensson conversou comigo e minha colega Romana Rubeo para o programa “Palestine Chronicle TV”, em 6 de maio. Discutimos suas extraordinárias experiências na Palestina ocupada. O autor falou também sobre como ponderar seu papel de diplomata à consciência humana, diante de graves preocupações sobre os princípios de justiça e igualdade.

“Fui a Palestina em 2004. Anteriormente, trabalhei por muitos anos em Bangladesh, Congo e na África do Sul. Então fui convencido a ir à Palestina. Tentei me preparar, li bastante sobre o assunto”, relatou Svensson.

“Passei os primeiros dez anos explorando lugares, conversando com jornalistas, políticos, pessoas da ONU. Lembro de ir a Qalqilya [norte da Cisjordânia ocupada], onde vi o Muro pela primeira vez. Conversei com pessoas que perderam tudo, pelo simples motivo de que suas terras estavam do lado errado do Muro. Fui a Hebron [Al-Khalil] e fui a Gaza. Então, neste período, algo aconteceu comigo. Fiquei em choque. Compreendi que não estava nada preparado. Algo aconteceu comigo; e eu não sabia o que era, não naquela ocasião.”

Svensson refletiu também sobre suas experiências na África do Sul, que passou por uma longa e árdua luta contra o racismo e o apartheid. Afirmou: “Quando estava na África do Sul, eu tinha um sentimento de que algo me faltava, porque fui para lá após 1994, no ano 2000. É como se o que eu tanto procurava na África do Sul fosse na verdade o que ocorre na Palestina.”

 Resenha do Livro: Apartheid é um crime: Retratos da ocupação israelense

“A representante da África do Sul em Ramallah riu quando lhe contei isso. Então me disse: ‘Cem por cento dos sul-africanos que passam ao menos um mês por aqui relatam que o apartheid na África do Sul era apenas um piquenique comparado à Palestina.’ Respondi: ‘Não acredito, não pode ser sério.’ E ela afirmou: ‘Você não tem que acreditar em mim, pode acreditar em Desmond Tutu, que repete isso toda semana; acredite em Mandela.’”

“Foi como tudo começou”, declarou Svensson.

De fato, era apenas o início. O tempo que Svensson passou na Palestina foi mais do que suficiente para convencê-lo de que os eventos em curso no território ocupado são ainda piores do que o apartheid africano e que a “diplomacia silenciosa” jamais funcionaria como ferramenta de pressão a Israel, com objetivo claro de dar fim à opressão contra os palestinos.

Veja acima nossa entrevista com Mats Svensson e leia seu novo livro “Apartheid is a Crime”.

Categorias
EntrevistasEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaSlide GrandeSuécia
Show Comments
Show Comments