Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Governador de Dakota do Sul assina ordem executiva anti-BDS

https://www.monitordooriente.com/20191218-guerra-internacional-de-israel-contra-os-direitos-humanos/

O governador republicano de Dakota do Sul assinou uma ordem executiva na terça-feira proibindo escritórios de Estado de realizar negócios com empresas boicotando Israel.

A recente ação da republicana Kristi Noem fez de Dakota do Sul o 28º estado a adotar a lei anti-BDS.

“Israel é um dos aliados mais próximos da nossa nação e seu sucesso é fundamental para a segurança nacional americana”, anunciou Noem em comunicado. “Hoje, reafirmamos que Dakota do Sul está com Israel e só contratamos empresas que concordam em competir de maneira justa. Nosso estado não se responsabilizará por qualquer discriminação baseada em raça ou religião. ”

A ordem executiva exige que os fornecedores que buscam contratos com agências, autoridades, comissões, departamentos ou instituições do Estado de Dakota do Sul não se envolvam com empresas que participam de boicotes a Israel.

Também se aplica a empresas ou contratados com mais de cinco funcionários e contratos de 100 mil dólares ou mais, de acordo com o jornal israelense Haaretz.

Noem assinou a ordem na capital em Pierre uma hora antes de seu discurso sobre o estado do estado, que marcou o início da sessão de 2020 da legislatura estadual.

LER: Lorde britânico afirma que novo governo conservador abre oportunidades para lobistas pró-Israel

Durante a sessão legislativa de 2019, a Câmara dos Deputados de Dakota do Sul, com o Senado concordando, aprovou a Resolução Concorrente 1005 da Câmara que declarou oposição e condenou o movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS). Declarou que o BDS: “é um dos principais veículos para disseminar o antissemitismo”.

Outros estados que adotaram medidas semelhantes incluem: Alabama, Califórnia, Illinois, Indiana, Iowa, Minnesota, Nova York, Pensilvânia, Carolina do Sul, Texas e antes de terça-feira, Kentucky.

A organização de lobby de extrema direita de Israel, StandWithUs, elogiou a ordem executiva, enquanto o CEO Roz Rothstein anunciou da mesma forma em um comunicado: “Quando os estados se opõem ao viés e discriminação anti-Israel, isso beneficia a economia do estado, em conjunto com Israel em projetos de pesquisa. agricultura, ciência e meio ambiente, e diz um firme “NÃO” ao movimento BDS, que incentiva o anti-semitismo e desencoraja uma solução pacífica negociada entre Israel e seus vizinhos “.

LER: Guerra internacional de Israel contra os direitos humanos

Categorias
Ásia & AméricasBDSEUAIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments