Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

EUA diz que a remoção do Sudão da lista de apoiadores do terrorismo levará tempo

Grupo organiza uma manifestação pedindo a dissolução do antigo Partido do Congresso Nacional (PCN) do Sudão, que era liderado pelo presidente deposto Omar al-Bashir. Em 21 de outubro de 2019 em Cartum [Mahmoud Hajaj/Agência Anadolu]

Os Estados Unidos não têm mais uma relação contraditória com o governo sudanês e estão trabalhando com seus colegas na possibilidade de remover o país africano de uma lista de patrocinadores de terrorismo. A informação foi dada por uma alta autoridade do Departamento de Estado dos EUA, na sexta-feira, segundo divulgou a Reuters. Essa mudança de relacionamento é resultado da mudança de regime na nação africana.

Mas Tibor Nagy, secretário assistente para assuntos africanos, advertiu que fazer isso é um processo com condições. “Não é um evento, não está ligando um interruptor de luz. É um processo e estamos contínua e fortemente envolvidos com nossos interlocutores sudaneses sobre como podemos fazer isso ”, resumiu ele a repórteres.

Questionado se os Estados Unidos estavam comprometendo-se a suspender as sanções, Nagy disse “Não”, mas acrescentou: “Existem condições para esse evento. Todo mundo espera que isso aconteça, todo mundo espera que aconteça o mais rápido possível, todos entendemos as dificuldades que isso está causando, disse ele.

Há duas semanas, o Encarregado dos Negócios dos EUA no Sudão, Brian Shukan, indicou que o processo estava em andamento.

O governo dos EUA adicionou o Sudão à sua lista de países patrocinadores de terrorismo em 1993, devido a alegações de que o governo do então presidente Omar al-Bashir estaria apoiando grupos terroristas. A designação torna o Sudão tecnicamente inelegível para alívio da dívida e financiamento do FMI e do Banco Mundial. O congresso precisa aprovar uma remoção.

Meses de manifestações sobre a alta de preços de combustível, pão e escassez de dinheiro levaram a uma revolta contra Bashir, que foi derrubado pelos militares em abril. Um governo civil de transição foi formado em agosto e fez acordo com os Estados Unidos de já poderia começar a se envolver com instituições internacionais mesmo que ainda estivesse em uma lista de países considerados patrocinadores do terrorismo.

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasEUANotíciaSudão
Show Comments
Show Comments