Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Observatório de guerra afirma que 71 combatentes foram mortos em confrontos no noroeste da Síria

Equipe de defesa civil e residentes locais executam trabalhos de busca e salvamento em área destruída por jatos de guerra das forças de Bashar al-Assad e por bombardeios russos, na zona neutra do distrito de Jisr al-Shughur, em Idlib, Síria, 11 de julho de 2019 [Bera Derwish/Agência Anadolu]

Na noite da última quarta-feira (10), confrontos entre as forças do regime sírio e grupos de oposição armada mataram 71 soldados no noroeste do país, segundo informações do Observatório Sírio para Direitos Humanos divulgadas ontem.

Os confrontos eclodiram após grupos armados, incluindo o Hayat Tahrir Al-Sham – coalizão militar liderada por um ex-membro da Al-Qaeda –, lançarem um ataque para tomar a aldeia de Hamamiyat, “altamente fortificada”, no noroeste da Síria.

De acordo com o observatório, o ataque resultou na morte de 41 membros do exército sírio e 30 rebeldes.

“O conflito continuou na manhã de quinta-feira e as forças do regime lançaram uma contra-ofensiva para retomar a aldeia,” afirmou Rami Abdul Rahman, chefe do observatório, à agência de notícias internacional AFP.

Abu Khaled Al-Shami, porta-voz militar do Hayat Tahrir Al-Sham, relatou à AFP que “o ataque começou à noite contra os postos do regime em Hamamiyat e resultou no controle da aldeia e de sua elevação estratégica”.

Naji Mustafa, porta-voz da Frente de Libertação Nacional, de oposição ao governo, explicou que “o morro tem bastante importância estratégica devido à possibilidade de vigiar… rotas de suprimento às forças inimigas,” referindo-se às forças do regime sírio.

Confrontos entre forças do regime sírio e rebeldes ocorrem há semanas na província de Hama, no interior do país. Em junho, cerca de 250 combatentes de ambos os lados foram mortos em apenas três dias.

Categorias
NotíciaOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments