Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

ONU diz que 70% dos artefatos não detonados continuam sob escombros no Iraque

Cercados por IEDs e minas terrestres indocumentados, trabalhadores do petróleo avaliam o dano deixado pelo Daesh no Iraque [Ty Monitor Faruk / Oriente Médio]

Setenta por cento dos artefatos explosivos não detonados ainda estão nos escombros do Iraque, informou ontem o Serviço das Nações Unidas para Ação Contra as Minas (UNMAS).

“A presença de engenhos explosivos e minas não detonadas nas áreas do Iraque libertadas do domínio do Daesh continua a impedir um regresso seguro e voluntário das Pessoas Internamente Deslocadas (IDPs)”, citou uma declaração do UNMAS da Agência Anadolu.

No Iraque, 70% dos explosivos do ISIS ainda estão sob os escombros: UNMAS

ERBIL, Região do Curdistão – Setenta por cento das minas e outros riscos de explosivos continuam sem limpeza em áreas do Iraque devastadas pela guerra do Estado Islâmico (ISIS), impedindo milhões de deslocados internos …

 

 

Apesar das forças iraquianas terem reconquistado muitas áreas em todo o país dois anos atrás, a organização da ONU apontou que os riscos dos explosivos continuavam a ser “um dos principais inibidores do retorno seguro, digno e voluntário dos deslocados internos para suas casas”. .

De sua parte, o gerente sênior do programa da UNMAS, Pehr Lodhammar, disse que os riscos dos explosivos “continuam a ter um efeito adverso sobre as comunidades afetadas no Iraque”.

“Nosso principal objetivo é facilitar um retorno seguro e voluntário dos deslocados internos para suas casas”, observou Lodhammer, salientando que a organização não poderia cumprir sua missão “enquanto cerca de 70% dos perigos representados por explosivos ainda estão sob os escombros”.

As minas e bombas não detonadas são um dos principais desafios que impedem as autoridades iraquianas de repatriarem os deslocados no norte do Iraque, libertando áreas, particularmente em Nínive e Kirkuk.

Segundo estatísticas do Ministério da Imigração do Iraque, 3,1 milhões de iraquianos, de um total de 5,5 milhões de pessoas deslocadas das províncias do norte e do oeste do país após os eventos de junho de 2014, voltaram para suas casas, sendo que o restante permanece em campos na região do Curdistão. .

No final de 2017, o governo iraquiano anunciou a libertação de todo o país, incluindo Mosul, de Daash. No entanto, diz-se que o grupo ainda mantinha algumas celulas no país devastado pela guerra.

Categorias
IraqueNotíciaONUOriente Médio
Show Comments
Show Comments