Portuguese / English

Middle East Near You

Colonos israelenses criam novo posto avançado de assentamento na Cisjordânia ocupada

Grupos israelenses de extrema-direita se reúnem para realizar uma marcha em direção à fronteira de Gaza, exigindo a suposta criação de assentamentos judeus ilegais na Faixa de Gaza, onde residem 2,3 milhões de palestinos, em meio aos contínuos ataques israelenses, em 25 de abril de 2024, perto de Yad Mordechai, no sul de Ashkelon, Israel. [Mostafa Alkharouf/ Agência Anadolu].

Colonos israelenses ergueram hoje tendas no vilarejo de Bitello, a oeste de Ramallah, na Cisjordânia ocupada, informou a agência de notícias Wafa. De acordo com os moradores locais, um grupo de colonos entrou no vilarejo para montar tendas perto do Monte Mustafa Al-Ali e começou a erguer várias bandeiras israelenses, no que se acredita ser uma tentativa de estabelecer um novo posto avançado de assentamento na área.

Os moradores também relataram que esse é o incidente mais recente após a demolição de um prédio na área por escavadeiras israelenses há uma semana.

Todos os assentamentos de Israel na Cisjordânia ocupada e os colonos que vivem neles são ilegais de acordo com a lei internacional. Eles também são vistos como um impedimento para a solução de dois estados acordada internacionalmente. No entanto, estima-se que existam 800.000 colonos ilegais vivendo em 164 assentamentos e 116 postos avançados na Cisjordânia ocupada e em Jerusalém.

Enquanto isso, dezenas de colonos israelenses invadiram hoje o local do Túmulo de José na cidade de Nablus, na Cisjordânia, sob a proteção das forças de ocupação israelenses. Os colonos invadiram a área ao amanhecer para realizar rituais talmúdicos, enquanto grandes forças do exército israelense, acompanhadas por uma escavadeira militar, entraram no leste de Nablus, vandalizando as ruas ao redor do santuário, informou a Wafa.

LEIA: Colonos de Israel despejam lixo em nascente palestina perto de Jericó

Além disso, as forças israelenses dispararam balas reais, granadas de atordoamento e gás lacrimogêneo contra palestinos locais que tentavam proteger a área. Não houve registro de feridos.

Os palestinos acreditam que a Tumba de José seja o local de sepultamento da figura religiosa local Sheikh Yousef Dweikat. Os judeus israelenses, no entanto, acreditam que ela contém o túmulo do Profeta José (Yousef, em árabe).

As tensões têm sido altas em toda a Cisjordânia ocupada desde que Israel lançou uma ofensiva militar mortal contra a Faixa de Gaza, que matou mais de 38.150 palestinos desde 7 de outubro. Pelo menos 570 palestinos, incluindo 136 crianças, foram mortos no mesmo período, e mais de 5.350 outros foram feridos por disparos do exército israelense na Cisjordânia ocupada.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments