Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Copa do Mundo 2022: A indignação contra caricaturas francesas ‘racistas e islamofóbicas’ de jogadores do Catar

1
Caricatura publicada por Le Canard enchainé em suas edições de outubro retrata a seleção do Qatar (Twitter/screengrab)

Uma charge francesa causou indignação nas redes sociais pelo retrato “racista e islamofóbico” da seleção nacional de futebol do Catar antes da Copa do Mundo que começará em Doha no final deste mês.

Publicada no mês passado pelo jornal francês Le Canard enchaîné, a caricatura usa representações estereotipadas de homens árabes como barbados, raivosos, mascarados e carregando todos os tipos de armas, de facões e revólveres a lançadores de foguetes. Um jogador com a famosa camisa número 10 foi retratado vestindo um colete suicida.

O semanário satírico foi criticado por muitos usuários do Twitter que sugeriram que as ilustrações refletem um padrão racista nas críticas ocidentais a árabes e cataris antes da Copa do Mundo, principalmente na imprensa francesa.

“França vai França”, disse um usuário.

Entre os que se somaram às criticas à charge estava o ministro de Estado do Catar e presidente da Biblioteca Nacional do Catar, Hamad al-Kawari, que pediu ao jornal que pelo menos mostrasse “algum espírito esportivo”.

“Mesmo a sátira dura é bem-vinda!!! Mas Le Canard enchaîné decidiu recorrer a mentiras, ódio e ressentimento para atacar o Catar”, disse al-Kawari.

‘Ódio anti-muçulmano’

O jornal também foi criticado por alguns pelos tons islamofóbicos nas charges. Por exemplo, alguns usuários apontaram para os desenhos de mulheres muçulmanas na primeira página da edição de outubro, onde elas são retratadas vestindo uma roupa preta de corpo inteiro.

“Não é novidade para eles, já que eles já zombaram e insultaram o profeta, que a paz e as bênçãos estejam com ele, quase da mesma maneira”, disse um usuário, referindo-se a caricaturas controversas anteriores do profeta Muhammad na mídia francesa.

“Uma caricatura desprezível publicada por Le Canard Enchaîné que expõe seu verdadeiro racismo e ódio antimuçulmano”, disse outra pessoa.

 

A reação online às caricaturas ocorre em meio a crescentes frustrações entre os catarianos com as críticas crescentes aos abusos de direitos humanos no país na mídia internacional antes da Copa do Mundo.

Na semana passada, o ministro das Relações Exteriores do Catar, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, condenou o que chamou de “hipocrisia” dos países ocidentais em seus “ataques” contra Doha.

Ele disse que as críticas estão sendo feitas por uma “minoria de pessoas”, com países europeus críticos entre os que mais compraram ingressos.

“Entre os dez países que mais compraram ingressos, encontramos países europeus como a França”, disse Al Thani.

Várias cidades francesas, incluindo Paris, anunciaram no início deste ano que não transmitiriam o torneio em telas grandes como um protesto contra o recorde de violações do Catar sobre meio ambiente e direitos humanos.

No entanto, apesar dessas críticas, a França assinou uma parceria com o Catar para fornecer pessoal de segurança na Copa do Mundo, uma decisão que atraiu algumas críticas da mídia francesa.

Artigo originalmente publicado no Middle East Eye [MEE]

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a política editorial do Middle East Monitor.

Categorias
ArtigoCatarCopa do Mundo Catar 2022Europa & RússiaFrançaOpiniãoOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments