Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

No Dia Mundial do Refugiado, ONU destaca segurança de deslocados no mundo

1
Perita apoia a preocupação da Agência da ONU para os Refugiados sobre dificuldades relatadas em experiências traumáticas [S. Masengesho/ Acnur]

O Dia Mundial do Refugiado é uma data internacional designada pelas Nações Unidas para homenagear àqueles obrigados a fugir de suas casas, em todo o mundo. Celebrado em 20 de junho, o Dia marca a força e coragem das pessoas que tiveram que fugir de seu país para escapar de conflitos ou perseguições.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, destaca que o número de pessoas aumentou a cada ano, na última década, e está no nível mais alto desde o início dos registros. Esta é uma tendência que só pode ser revertida por um novo esforço conjunto por pacificação.

Segurança para os refugiados

Na última semana, o Acnur lançou seu relatório anual de Tendência Globais indicando que até o final de 2021, os deslocados por guerra, violência, perseguição e abusos de direitos humanos eram de 89,3 milhões.

O valor é 8% maior em comparação ao ano anterior e bem mais que o dobro de 10 anos atrás. Segundo o Acnur, a invasão russa da Ucrânia causou uma das maiores crises de deslocamento desde a Segunda Guerra Mundial, na Europa. Outras emergências, da África ao Afeganistão, empurraram o número para o marco dramático de 100 milhões.

Assim, este ano, o Acnur reforça que todas as pessoas têm direito a buscar segurança, independentemente de quem sejam, de onde venham e sempre que são forçadas a fugir.

LEIA: 6.4 milhões de palestinos são refugiados, confirma relatório

Pilares fundamentais para integridade dos refugiados

Com o foco na segurança dos refugiados, o escritório da ONU destaca cinco pilares fundamentais para proteger a integridade dessas pessoas.

Todos devem ter o direito de procurarem asilo, seja por fugirem de conflitos, perseguições ou abusos de direitos humanos.

Além disso, as fronteiras devem permanecer abertas àqueles forçados a fugir. A restrição pode deixar a jornada dos refugiados ainda mais perigosa.

O Acnur adiciona que os refugiados não devem ser obrigados a retornar aos países em que tenham sua liberdade ameaçada. Para a agência, nenhum país deve enviar pessoas de volta sem avaliar os perigos aos quais podem estar expostas.

Fim da discriminação e tratamento humanizado são outras frentes destacadas pelo Acnur. Os refugiados devem ser protegidos de traficantes, detenção arbitrária e separação familiar.

Responsabilidade global

Para o Acnur, proteger as pessoas forçadas a fugir deve ser uma responsabilidade global.

No entanto, a agência adiciona que os países e comunidades que recebem e hospedam grande número de refugiados, em relação à suas populações e economias, precisam de apoio constante e solidariedade da comunidade internacional.

Além disso, a organização afirma que, uma vez que os refugiados estejam fora de perigo, elas precisam de oportunidades para curar, aprender, trabalhar e prosperar, como destaca o Pacto Global sobre Refugiados.

A agência também reforça que eles precisam de soluções, como a chance de voltar para casa em segurança e dignidade ou, nos casos mais vulneráveis, a serem reinstalado num terceiro país.

LEIA: Agência para Refugiados Palestinos enfrenta nova falta de financiamento

Publicado originalmente em ONU News

Categorias
ACNURNotíciaONUOrganizações Internacionais
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments