Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Tunísia aumenta preços de eletricidade e gás natural

Um morador caminha perto de uma estação de bombeamento de petróleo na Tunísia. em 24 de maio de 2017 [Khaled El Houch/AFP/Getty Images]

Uma autoridade tunisiana anunciou, na sexta-feira (13), que seu país elevou os preços do consumo doméstico de eletricidade e gás natural na última série de aumentos de preços em um país que sofre a pior crise financeira de sua história.

O país africano está tentando chegar a um novo acordo de empréstimo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para reformas que não são apoiadas por seu povo, incluindo corte de subsídios de energia e alimentos e congelamento de salários.

Sami Ben Hamida, diretor comercial da estatal Companhia Tunisina de Electricidade e Gás, confirmou em entrevista à rádio tunisina Mosaique FM que o aumento dos preços da electricidade foi de 12 por cento para quem consome 200 kWh por mês.

Ben Hamida acrescentou que foi acrescentado um aumento de 16 por cento para aqueles cujo consumo de gás natural ultrapassa os 30 metros cúbicos por mês.

O ministro da Agricultura da Tunísia afirmou, no início desta semana, que a Tunísia aumentaria os preços de alguns alimentos, incluindo leite, ovos e frango. Isso ocorreu depois que os agricultores protestaram contra um aumento nos preços da cevada.

LEIA: Protestos na Tunísia pedem solução aos problemas sociais

Sindicatos e políticos alertam que a onda repetida de aumentos de preços e o declínio do poder de compra em meio a uma grave crise econômica pode levar a distúrbios sociais e protestos que as autoridades podem não conseguir controlar.

O presidente, Kais Saied, já enfrenta repetidos protestos políticos para forçá-lo a retornar ao curso democrático adotado pela revolução de 2011.

No mês passado, o governo também aumentou o preço do combustível em cinco por cento, o terceiro aumento este ano.

Um funcionário do Ministério da Energia disse à Reuters no mês passado que a Tunísia aumentará os preços domésticos dos combustíveis todos os meses este ano em pelo menos 3 por cento, o que pode significar um aumento de pelo menos 30 por cento até o final de 2022.

O governo diz que chegar a um acordo de empréstimo com o FMI é necessário e crítico para evitar um colapso total da economia. No entanto, o influente Sindicato Geral dos Trabalhadores da Tunísia rejeitou essas reformas e ameaçou realizar uma greve nacional por empregos no setor público e nas instituições estatais.

Categorias
ÁfricaNotíciaTunísia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments