Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

UNESCO investe em projetos culturais da Palestina e América Latina

Bashar Murad canta na Palestine Music Expo 2019, em Ramallah, Palestina, em 21 de maio de 2019 [Yasmine Omari/Wikimedia]

Diante dos impactos que a pandemia de covid-19 teve no setor cultural do mundo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) anunciou hoje a aprovação de mais de 730 mil dólares em financiamento para projetos culturais no Sul Global. Entre os escolhidos, serão beneficiados projetos da Palestina,   Bolívia, Chile, Colômbia, Guiné, Indonésia, Nigéria, Seicheles e Timor-Leste.

O financiamento, do Fundo Internacional para a Diversidade Cultural (IFCD), foi aprovado durante a 15ª Sessão do Comitê Intergovernamental da UNESCO para a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, realizada esta semana; nove projetos foram escolhidos, de um total de 615 propostas apresentadas.  Segundo a UNESCO, isso eleva o apoio total do IFCD para mais de 9,4 milhões de dólares, resultando em financiamento para 129 projetos em 65 Estados-Membros desde 2010.

A decisão do Comitê está em consonância com a política da UNESCO de apoio ao setor criativo e cultural, que sofreu com a pandemia, como mostrado no recente relatório Re|Shaping Policies for Creativity.

“Este período de profunda agitação está nos apresentando a todos uma escolha. Ou tentamos apenas remendar os buracos, o que sem dúvida nos levará a enfrentar os mesmos desafios no futuro próximo, ou aproveitamos a oportunidade de transformar o ecossistema cultural de forma integrada para torná-lo mais resiliente, mais inclusivo e mais sustentável”, disse Ernesto Ottone, diretor-geral assistente da UNESCO para a Cultura.

LEIA: Universidade Federal do ABC abre vagas para refugiados em cursos de pós-graduação

A covid-19 destacou os desafios enfrentados por artistas e trabalhadores culturais no acesso ao trabalho decente, especialmente em países com infra-estrutura social limitada ou inexistente. Segundo a UNESCO, a assistência visa apoiar os jovens, as mulheres e os grupos mais vulneráveis nos países em desenvolvimento, a fim de proporcionar a eles um ambiente de trabalho mais estável.

Entre os projetos aprovados, está o município de Ramallah, na Palestina, que receberá, até agosto de 2023, mais de 75 mil dólares. O “Ramallah City of Music” é uma estratégia para o desenvolvimento sustentável da cidade através da música. O programa é uma iniciativa guarda-chuva implementada pelo município para coordenar as iniciativas musicais da cidade, iniciar a cooperação entre diversos centros culturais e operadores, bem como criar novas iniciativas, tais como as anuais convenções musicais que reúnem mais de trinta mil pessoas.

As principais atividades do projeto palestino que serão financiadas são: mapeamento da indústria musical da cidade,  para contribuir para uma melhor formulação de políticas e aumentar a conscientização do setor musical; criação e adoção de uma estratégia baseada em evidências com um plano de ação para desenvolver Ramallah como uma cidade da música; criação de plataforma online para promover o plano e inspirar outras cidades; realização de um estudo para identificar as habilidades necessárias para que artistas e profissionais da indústria musical possam participar de eventos fora da cidade e produção de um relatório com recomendações para melhorar a mobilidade dos artistas.

Na América Latina, o projeto “We are diverse” (Nós somos diversas), liderado pela Federação Ibero-Americana de Cinema, da Colômbia, busca capacitar mulheres profissionais do audiovisual de grupos vulneráveis em sete países da América Latina. No Chile, o beneficiado é o projeto da Arte Joven  (Corporación Cultural Balmaceda Doce Quince) para fomentar a  diversidade cultural através do empoderamento da juventude no país. A Fundación Visión Cultural, da Bolívia, terá quase 85 mil dólares para promover as indústrias culturais e criativas na cidade de La Paz.

LEIA: Festival em São Paulo celebrará as influências da imigração árabe no Brasil

Também foram escolhidos os seguintes projetos:

“Criando uma aliança comunitária para o planejamento do desenvolvimento cultural sustentável em Lautem”, Timor-Leste, liderado pela ONG Many Hands International-MHI; “Revigorando e restabelecendo a cultura no coração do desenvolvimento econômico e social das Seicheles”, liderado pelo Instituto Nacional de Cultura, Patrimônio e Artes das Seicheles; “Promovendo e monitorando a liberdade artística na Indonésia”, liderado pelo Perhimpunan Koalisi Seni Indonésia – Associação de Coalizão de Arte Indonésia; “Melhorando o acesso ao mercado para artistas com deficiência”, liderado pela Potter’s Gallery Initiative, na Nigéria; e “Fortalecendo o empreendedorismo nos setores de audiovisual, moda e design da Guiné”, liderado por La MUSE, da Guiné.

Categorias
ÁfricaAmérica LatinaÁsia & AméricasBolíviaChileColômbiaGuinéIndonésiaNigériaNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments