Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Apesar das fortes críticas ao tratamento do Egito aos refugiados, Sisi ataca a Europa

Pessoas participam de um protesto em apoio aos migrantes em Londres, Reino Unido, em 25 de novembro de 2021 [Hasan Esen/Agência Anadolu]

O presidente do Egito criticou a Europa por se recusar a receber refugiados, alegando que seu próprio país recebeu milhões de pessoas.

“Estou falando de números enormes”, disse ele no Fórum Mundial da Juventude em Sharm El-Sheikh. “Não cerca de cinco ou dez mil que nossos amigos na Europa se recusam a receber.”

Abdel Fattah Al-Sisi disse que o Egito abriga cerca de seis milhões de pessoas que ele permite que vivam livremente na comunidade. No entanto, relatórios de organizações de refugiados contam uma história diferente.

Em dezembro do ano passado, a Plataforma de Refugiados no Egito informou que mais de 200 requerentes de asilo eritreus – incluindo 44 crianças – foram detidos no Egito em celas apertadas e superlotadas, com pouca comida, luz solar ou cuidados médicos.

Também no ano passado, 21 requerentes de asilo da Eritreia no país foram transferidos de seu local de detenção em Aswan e forçados a assinar documentos de viagem em sua embaixada no Cairo, em preparação para sua deportação de volta a Asmara.

LEIA: Sisi rotula de ‘mentiras’ evidências de violações de direitos humanos

Em outubro e novembro, as autoridades egípcias deportaram à força 15 eritreus de volta ao seu país de origem, onde enfrentam pena de morte ou prisão perpétua. Dez dos refugiados, aos quais foi negado o contato com o ACNUR, entraram em greve de fome para protestar contra a decisão.

Em 2013, a mídia estatal do Egito classificou os refugiados sírios no país como terroristas que se alinharam com a Irmandade Muçulmana, enquanto refugiados de outros países da África relatam abusos racistas nas ruas, incluindo pedras e lixo atirados contra eles.

Isso sem mencionar que há egípcios em toda a Europa, inclusive no Reino Unido, que estão buscando asilo por causa do abuso e da falta de direitos humanos que sofreram em casa.

Al-Sisi usa a questão dos refugiados como alavanca para seu relacionamento com a Europa. Devido ao aumento da violência e instabilidade na Líbia, o Egito tem sido usado cada vez mais como ponto de partida para os refugiados chegarem à Europa.

Al-Sisi disse que aumentou a segurança nas fronteiras e, portanto, reduziu o número de pessoas que partem do norte da África para a Europa.

Categorias
ÁfricaEgitoEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioReino UnidoSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments