Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Vinte e quatro pessoas foram executadas na Síria por iniciar incêndios florestais

Soldados sírios fazem uma pausa enquanto lutam contra um incêndio florestal na área de Ain Shams, no oeste da província de Hama, em 10 de setembro de 2020 [Louai Beshara/AFP via Getty Images]

A Síria executou 24 pessoas após condená-las por acusações de terrorismo por desencadearem os devastadores incêndios florestais do ano passado, disse o Ministério da Justiça na quinta-feira, conforme informou a AP.

De acordo com a reportagem, os executados foram acusados de atos terroristas ao iniciarem os incêndios florestais, disse o Ministério da Justiça em um comunicado divulgado pela mídia estatal na quinta-feira.

Não foram fornecidos detalhes sobre os executados pelo regime.

De acordo com o grupo de direitos humanos Anistia Internacional, a lei síria ainda dá a pena de morte para crimes como terrorismo, incêndio criminoso e deserção do exército.

Em seu último relatório sobre a pena de morte publicado este ano, a Anistia disse que foi capaz de corroborar informações indicando que as execuções ocorreram na Síria em 2020, mas disse não ter informações suficientes para fornecer um número mínimo confiável.

A pena de morte é geralmente dada aos cidadãos como um veredicto de enforcamento de pessoas.

LEIA: EUA indicam novo responsável pela política síria

Categorias
Anistia InternacionalNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments