Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Guerra no Iêmen deixa dez mil crianças mortas ou feridas, alerta Unicef

Departamento de Combate à Desnutrição no Hospital de Sabeen, em Sanaa, Iêmen, 12 de outubro de 2021 [Mohammed Hamoud/Agência Anadolu]

Mais de dez mil crianças foram mortas ou feridas no Iêmen, desde o início do conflito, ainda em curso, confirmou ontem (19) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

“Dez mil crianças no Iêmen foram mortas ou mutiladas desde a escalada da guerra, a partir de março de 2015, entre o governo aliado da Arábia Saudita e rebeldes houthis, por sua vez, ligados ao Irã”, declarou James Elder, porta-voz da Unicef.

Ao descrever os números como “marco lamentável” no país, Elder reiterou que apenas casos verificados foram incluídos no relatório e advertiu para a subnotificação.

LEIA: Insegurança alimentar atinge 16 milhões no Iêmen, alerta ONU

O oficial da ONU destacou ainda que quatro entre cada cinco menores de idade — isto é, 11 milhões de crianças — dependem de assistência humanitária para sobreviver.

“Quatrocentas mil crianças iemenitas sofrem de grave desnutrição”, acrescentou.

Conclusão: as crianças no Iêmen não morrem de fome por falta de comida — morrem de fome porque suas famílias não podem pagar por seu alimento. Morrem de fome porque os adultos continuam a travar uma guerra na qual as crianças são as maiores vítimas.

explicou Elder.

O porta-voz da Unicef observou também que mais de dois milhões de crianças iemenitas não têm acesso à escola e que 1.7 milhões de crianças, junto de suas famílias, sofreram deslocamento forçado devido à violência.

“Um índice aterrador de 15 milhões de pessoas — incluindo 8.5 milhões de crianças, mais da metade — não tem acesso a água potável e saneamento básico”, prosseguiu.

O Iêmen — país mais pobre do Oriente Médio — é assolado por uma guerra civil desde o fim de 2014, quando rebeldes houthis capturaram a capital. O conflito escalou em março seguinte, quando uma coalizão saudita interveio para restaurar o governo aliado.

A violência levou à pior crise humanitária do mundo, de acordo com a ONU; vinte milhões de pessoas — dois terços da população — dependem de assistência para sobreviver.

Categorias
Arábia SauditaIêmenNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioUNICEF
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments