Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ministra de extrema-direita israelense visita Emirados pela primeira vez

Ministra do Interior de Israel Ayelet Shaked em Jerusalém ocupada, 5 de julho de 2021 [MENAHEM KAHANA/AFP/Getty Images]
Ministra do Interior de Israel Ayelet Shaked em Jerusalém ocupada, 5 de julho de 2021 [MENAHEM KAHANA/AFP/Getty Images]

A Ministra do Interior de Israel Ayelet Shaked, conhecida por posições de extrema-direita, viajou aos Emirados Árabes Unidos para sua primeira visita oficial ao país, após a normalização dos laços entre a monarquia do Golfo e a ocupação, em setembro de 2020.

Na segunda-feira (4), Shaked reuniu-se com sua contraparte e vice-premiê emiradense, Saif Bin Zayed al-Nahyan, na cidade de Abu Dhabi. Ambos debateram iniciativas para promover a cooperação bilateral, incluindo tecnologia digital e questões de segurança.

Al-Nahyan ofereceu treinamento e formação a imãs israelenses em solo emiradense, sobretudo em matéria de “moderação religiosa” e “erradicação da violência”.

Shaked insistiu que o relacionamento entre Tel Aviv e Abu Dhabi tem natureza estratégica e que é necessário ir além dos acordos firmados até então.

“Hoje testemunhamos o que é a paz verdadeira … O governo [emiradense], com sua excepcional hospitalidade, deixou bastante claro que uma parceria genuína foi formada entre nossos países”, afirmou a ministra israelense.

Shaked confirmou que não será necessário visto para viagens entre os países, a partir de domingo (10), segundo informações do jornal The Jerusalem Post.

LEIA: Israel inaugura sua embaixada no Bahrein

Cerca de 200 mil israelenses já visitaram os Emirados desde a normalização e 40 empresas do estado colonial sionista já se estabeleceram em zonas francas do país árabe.

Os chamados Acordos de Abraão foram assinados em 15 de setembro de 2020, durante cerimônia na Casa Branca, promovida pelo então Presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Palestinos descreveram a normalização como “facada nas costas”.

Nos Emirados, a ex-Ministra da Justiça e co-líder do partido extremista Yamina — junto do primeiro-ministro israelense Naftali Bennett — visitou a Mesquita Sheikh Zayed e o chamado Oásis da Dignidade, memorial de guerra do estado do Golfo.

A ministra e parlamentar sionista planeja visitar também o Pavilhão Israelense da Feira Mundial de Dubai, ao descrevê-lo como “excelente plataforma para desenvolver contatos e oportunidades econômicas entre Israel, Emirados e todo o planeta”.

Shaked é conhecida por pontos de vista notavelmente racistas sobre o povo palestino, incluindo políticas de apartheid e punição coletiva. Em 2015, incitou no Facebook a morte dos nativos palestinos, ao referir-se às suas crianças como “pequenas víboras”.

“Todo o povo palestino é nosso inimigo”, declarou Shaked.

Ao justificar a destruição de instalações civis, Shaked reafirmou sua declaração, ao estendê-la a “idosos e mulheres, cidades e aldeias, posses e infraestrutura”.

Categorias
Emirados Árabes UnidosIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments