Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

A morte de 89 quenianos na Arábia Saudita é “suspeita”, dizem autoridades

Theresa, uma trabalhadora migrante de 33 anos do Quênia, com seu filho, Christiano, em 14 de agosto de 2020 [Elsie Haddad/Getty Images]

A morte de 89 trabalhadores domésticos quenianos na Arábia Saudita nos últimos dois anos foi descrita como “suspeita” pelo Ministério das Relações Exteriores do estado africano. As autoridades sauditas disseram aos seus homólogos quenianos que a maioria das mortes foi por parada cardíaca, mas as autoridades quenianas duvidam muito que seja esse o caso.

Comparecendo ao comitê de trabalho do parlamento na semana passada, o secretário-geral de Relações Exteriores, Macharia Kamau, revelou a taxa altamente desproporcional de mortes entre quenianos na Arábia Saudita e em outros estados do Golfo.

“Comparamos as mortes, então não é possível que haja três mortes no Catar, uma nos Emirados Árabes, duas no Kuwait, nove em Omã, duas no Bahrein e você tem 40-50 no outro país, porque o número pode ser maior, mas eles não são tão maiores”, disse Kamau. “Não é possível que esses jovens estejam todos morrendo de parada cardíaca”, acrescentou ele, descartando a explicação de Riad para as mortes.

Estima-se que 49 quenianos morreram na Arábia Saudita nos últimos nove meses, supostamente devido à insuficiência cardíaca. Nenhuma investigação independente foi realizada para confirmar a causa da morte.

LEIA: Mulher saudita é condenada por assassinar doméstica de Bangladesh em raro veredito

Wachira Kabinga, legisladora e presidente do comitê de trabalho do Quênia, pediu maior proteção de seus trabalhadores domésticos na Arábia Saudita. Ela disse que era a “prioridade número um”, ao mesmo tempo que instava pela adoção de recomendações adequadas e claras para “garantir que povo não vivesse como escravo”.

O número de empregadas domésticas na Arábia Saudita aumentou 14% no ano passado, chegando a quatro milhões. Pelo menos 100.000 quenianos trabalham no Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes, a maioria como empregados domésticos ou fazendo outros trabalhos braçais.

Em março, Riad assinou um memorando de entendimento para aumentar a coordenação na proteção dos direitos humanos e aumentar a conscientização para reduzir a violência doméstica.

Empregadas sendo abusadas no Oriente Médio [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
ÁfricaArábia SauditaNotíciaOriente MédioQuênia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments