Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Raisi diz que Irã está pronto para negociações, mas não sob ‘pressão’ ocidental

O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, na capital Teerã, Irã, em 25 de agosto de 2021 [Fatemeh Bahrami/Agência Anadolu]
O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, na capital Teerã, Irã, em 25 de agosto de 2021 [Fatemeh Bahrami/Agência Anadolu]

O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, disse no sábado que o Irã está pronto para manter conversações com potências mundiais para reviver seu acordo nuclear de 2015, mas não sob “pressão” ocidental, acrescentando que Teerã busca negociações que levem ao levantamento das sanções americanas, relatou a Reuters.

A França e a Alemanha pediram ao Irã que retorne às negociações depois de uma pausa nas negociações após as eleições iranianas em junho, com Paris exigindo um reinício imediato em meio às preocupações ocidentais sobre a expansão do trabalho atômico de Teerã.

No mês passado, França, Alemanha e Grã-Bretanha expressaram preocupação com relatórios do órgão nuclear da ONU confirmando que o Irã produziu urânio metálico enriquecido com até 20% de pureza físsil pela primeira vez e elevou a capacidade de produção de urânio enriquecido para 60%.

LEIA: Irã desenvolverá política antes de retomar negociações nucleares paralisadas

O Irã diz que seu programa nuclear é pacífico, que informou o órgão de fiscalização sobre suas atividades e que seu afastamento do acordo de 2015 seria revertido se os Estados Unidos retornassem ao acordo e suspendessem as sanções.

“Os ocidentais e os americanos estão atrás de negociações junto com pressão […]. Que tipo de conversa é essa? Já anunciei que teremos negociações sobre a agenda de nosso governo, mas não com […] pressão”, disse Raisi à televisão estatal.

“As negociações estão na ordem do dia […]. Estamos buscando negociações voltadas para metas […] para que as sanções injustas contra o povo iraniano sejam suspensas […] e suas vidas possam florescer”, acrescentou.

Categorias
AlemanhaÁsia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaFrançaIrãNotíciaOriente MédioReino Unido
Show Comments
Show Comments