Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Sindicato dos trabalhadores alerta que Tunísia corre risco de desintegração

A União Geral do Trabalho da Tunísia (UGTT) fazr manifestação exigindo que os ministérios cumpram suas promessas de reforma para a região em Kairouan, Túnis em 03 de dezembro de 2020. [Yassine Gaidi - Agência Anadolu]
A União Geral do Trabalho da Tunísia (UGTT) fazr manifestação exigindo que os ministérios cumpram suas promessas de reforma para a região em Kairouan, Túnis em 03 de dezembro de 2020. [Yassine Gaidi - Agência Anadolu]

O Secretário-Geral Adjunto do Sindicato Geral dos Trabalhadores da Tunísia, Sami Tahiri, pediu a rápida formação de um governo e alertou contra o fato do país estar rumando a um cenário de “nenhum estado ou desmantelamento do estado”.

Tahiri disse em uma postagem em sua conta do Facebook na noite de quarta-feira: “Um governo de emergência, um governo de unidade, um governo tecnocrático, um governo administrativo, um governo de gestão, você escolhe, o importante é um governo em que uma equipe e um o líder que coordene e harmonize a equipe, e então os caminhos ficam desobstruídos diante disso. ” Ele acrescentou: “Caso contrário, não estaremos caminhando para nenhum estado … para a desintegração.”

Na quarta-feira, o presidente tunisiano, Kais Saied, disse ue o estado tunisiano será vítima da atual “pandemia política”, se ela continuar.

Em 25 de julho, o presidente tunisiano Kais Saied citou o artigo 80 da Constituição para demitir o primeiro-ministro Hicham Mechichi, suspender o parlamento por 30 dias, levantar a imunidade dos ministros e nomear-se chefe do poder executivo até a formação de um novo governo.

Isso aconteceu depois que protestos violentos estouraram em várias cidades tunisianas criticando a forma como o governo lida com a economia e o coronavírus. Os manifestantes pediram a dissolução do parlamento.

A maioria dos partidos políticos do país considerou a medida um “golpe contra a Constituição” e as conquistas da evolução de 2011.

Saied não nomeou um novo primeiro-ministro.

LEIA: Presidente da Tunísia exorta polícia a lidar com protestos ‘conforme a lei’

Categorias
ÁfricaNotíciaTunísia
Show Comments
Show Comments