Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Tunisiana ganha seu quinto ouro paralímpico e quebra o próprio recorde mundial em Tóquio

Tunisiana Raoua Tlili posa ao lado do placar digital que mostra seu recorde mundial em Tóquio 2020, no Estádio Nacional, Tóquio, Japão, em 27 de agosto de 2021 [Buda Mendes/Getty Images via Paralympic]

A rainha do arremesso de peso, Raoua Tlili, ganhou hoje o primeiro ouro da Tunísia nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. A atleta veterana dominou o evento, quebrou o próprio recorde mundial e ganhou o seu quinto ouro paralímpico.

Tlili, 31 anos, fez um lançamento de 10,55m no segundo round no arremesso de peso feminino F41, estabelecendo um novo recorde mundial, que já era seu. A colombiana Mayerli Ariza Buitrago levou a medalha de prata em sua estreia paralímpica, depois de marcar 9,94m , enquanto Antonella Ruiz Diaz, da Argentina, pegou o bronze com 9,50m.

Raoua Tlili lidera a modalidade há treze anos, tendo conquistado ouro em Pequim 2008, em Londres 2012 e Rio 2016, onde ela conquistou outra medalha de ouro na modalidade do lançamento de disco.

“Estou muito feliz porque este é meu quarto Jogos Paralímpicos e minha quarta medalha de ouro [no arremesso de peso], além de um recorde mundial (10,55m)”, contou.

LEIA: Turquia recebe duas medalhas paraolímpicas em Tóquio

A atleta, uma pessoa de baixa estatura, ganhou três vezes o título de Melhor Desportista Deficiente do Ano na Tunísia, segundo o jornal The National. “Há muito trabalho por trás disso. Quando encontro alguns obstáculos em minha vida, não é um problema para mim porque sou muito forte para superá-los”, disse ela ao jornal. “Eu superei minha deficiência, então por que não posso superar os obstáculos da minha vida?

“Na Tunísia, o ritmo de vida não é como na Europa. Portanto, estou ainda mais feliz por poder derrotar meus problemas. Com esta medalha esqueço todos os meus problemas, toda a minha fadiga, todos os obstáculos”, disse. Ainda segundo o The National, ela dedicou a medalha ao seu falecido pai: “Meu foi o primeiro homem que me disse: ‘Raoua você é muito forte, Raoua você é uma grande campeã'”.

Na quarta-feira ela irá competir pela medalha no lançamento de disco F41, modalidade que ela também conquistou ouro nas últimas paralimpíadas, no Rio de Janeiro. “Será uma competição difícil”, disse, “quero manter minha posição e [estabelecer] um recorde mundial, por que não?!”.

LEIA: Time só com refugiados estreia em Jogos Paralímpicos de Tóquio

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasJapãoNotíciaTóquioTunísia
Show Comments
Show Comments