Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Corte do Iêmen condena líder houthi e outros 173 a pena capital

Fotografia do líder houthi Abdulmalik al-Houthi, durante ato no terceiro aniversário da intervenção militar saudita no Iêmen, na capital Sanaa, 26 de março de 2018 [Mohammed Hamoud/Getty Images]

A corte militar do Iêmen condenou o comandante houthi Abdulmalik al-Houthi e 173 outros réus à pena capital por fuzilamento, reportou a agência estatal Saba.

Todos foram considerados culpados de realizar um golpe armado contra o regime reconhecido internacionalmente e cometer delitos militares e crimes de guerra.

A corte designou oficialmente os rebeldes houthis como grupo terrorista e ordenou apreensão de suas propriedades e desarmamento de todos os seus membros — os aparatos militares devem ser entregues ao Ministério da Defesa do Iêmen.

A corte também exortou que o Irã seja indiciado no Tribunal Penal Internacional (TPI), por seu envolvimento com crimes cometidos pela organização paramilitar iemenita.

LEIA: Novo enviado da ONU ao Iêmen assume posse em setembro

Em julho, o tribunal sediado em Marib realizou a sessão de abertura do julgamento dos líderes houthis, sob alegação de conduzirem um golpe de estado contra o presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi — notório aliado saudita —, em 2015.

O Iêmen é assolado pela guerra desde 2014, quando houthis ligados a Teerã tomaram grande parte do país, incluindo a capital Sanaa. A crise escalou em 2015, quando uma coalizão saudita lançou uma devastadora campanha aérea para reverter os ganhos territoriais houthis.

Segundo o Escritório das Nações Unidas para Coordenação de Assuntos Humanitários, o conflito deixou mais de 233 mil mortos, até então.

Categorias
IêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments