Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel autoriza a entrada de mais produtos básicos em Gaza

A travessia de Karm Abu Salem (Kerem Shalom), que é vital para a economia de Gaza, já está fechada há 33 dias, reduzindo o trabalho da usina principal e agravando a crise de combustível no enclave, 11 de junho de 2021 [Mohammed Asad / Monitor do Oriente Médio]
A travessia de Karm Abu Salem (Kerem Shalom), que é vital para a economia de Gaza, já está fechada há 33 dias, reduzindo o trabalho da usina principal e agravando a crise de combustível no enclave, 11 de junho de 2021 [Mohammed Asad / Monitor do Oriente Médio]

As autoridades de ocupação israelenses anunciaram ontem que mais algumas commodities seriam permitidas na Faixa de Gaza sitiada.

“Após uma avaliação de segurança e aprovação política, foi decidido expandir a entrada de bens e equipamentos para projetos civis internacionais na Faixa de Gaza através da Travessia de Kerem Shalom”, o escritório do coordenador das atividades de ocupação israelense no Territórios Palestinos Ocupados escreveu no Facebook.

“A importação de novos veículos para a Faixa de Gaza será aprovada e o comércio de ouro entre Gaza e a Cisjordânia ocupada será retomado”, acrescentou o anúncio.

“Além disso, a cota de comerciantes de Gaza que passam pela Travessia de Erez será aumentada”, continuou, observando que as licenças serão emitidas apenas para aqueles que já estão vacinados ou se recuperaram do COVID-19.

Duas semanas atrás, Israel renovou as autorizações de entrada para 1.000 comerciantes e 350 executivos seniores de Gaza, e retomou a exportação de mercadorias de Gaza para Israel.

Além disso, mercadorias para o setor de transporte e comunicações, bem como para projetos de água e esgoto, foram permitidas no enclave sitiado.

No entanto, Israel continuou a bloquear a entrada de materiais de construção e matérias-primas necessárias para uma série de indústrias desde o fim de sua ofensiva em Gaza, que ocorreu entre 11 e 21 de maio.

Gaza está sob um cerco israelense estrito há 14 anos e tem sido alvo de repetidos ataques israelenses durante esse período, que levaram a danos em grande escala, altas taxas de desemprego e pobreza.

LEIA: Presidente da Agência Judaica organiza viagem polêmica à cidade de Hebron, na Cisjordânia

Categorias
CoronavírusIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments