Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

16ª Mostra Mundo Árabe de Cinema começa hoje, com sete filmes inéditos no Brasil

Cena do filme Chave de Fenda (Mafak), de Bassam Jarbawi, sobre um palestino que passa 15 anos preso injustamente em uma cadeia israelense [Reprodução]
Cena do filme Chave de Fenda (Mafak), de Bassam Jarbawi, sobre um palestino que passa 15 anos preso injustamente em uma cadeia israelense [Reprodução]

Acontece hoje, 19 de agosto, às 19h, a abertura da 16ª Mostra Mundo Árabe de Cinema, que novamente, devido à covid-19, será realizada online e apresentará sete filmes inéditos no Brasil, do dia 10 de agosto a 16 de setembro. Os filmes reforçam o caráter da diversidade dos países árabes e da aproximação com a sociedade brasileira, como tem sido ao longo de toda a trajetória da mostra, que projetou-se no cenário internacional e integrou-se ao calendário cultural da cidade de São Paulo. O evento de abertura será aberto ao público, com transmissão ao vivo no canal do ICArabe no Youtube.

Os convidados da abertura são o embaixador Osmar Chohfi (presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira), Murched Omar Taha (presidente do Instituto da Cultura Árabe), Danilo Santos de Miranda (diretor regional do Sesc São Paulo), Christian Mourroux (diretor artístico da Cine Fértil), Silvia Antibas (historiadora e diretora cultural da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira), Adhemar de Oliveira (diretor da Arteplex Filmes), Eloísa Lopes (diretora de Aquisições da Synapse Distribution), Soraya Smaili (idealizadora da Mostra) e Arthur Jafet (curador da Mostra).

Em plataformas digitais da Mostra e do Sesc, o evento apresenta gratuitamente sete filmes inéditos, que refletem sobre temas como o futuro político e as sociedades em transformação num mundo pós-pandemia.  A Mostra tem realização do ICArabe (Instituto de Cultura Árabe), correalização do Sesc São Paulo e patrocínio da Casa Árabe, centro cultural da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira. Além das exibições, serão promovidos encontros online com diretores e convidados especiais para interação com o público.

A curadoria da Mostra é de Arthur Jafet, que ressalta: “Na esteira da pesquisa por obras da cinematografia contemporânea do Mundo Árabe, põe-se em xeque a identidade de povos e o ideal de nação que se pretende forjar, sob a ótica crítica de seus diretores que despontam no afã de denunciar temáticas de cunho regional e universal.”

Após a abertura, os filmes ficarão disponíveis na plataforma da Mostra a partir do dia 20 – um por semana – e podem ser assistidos pelos usuários cadastrados em quaisquer dias e horários da semana em que estiverem em cartaz nas plataformas, conforme programação abaixo. Na plataforma Sesc Digital, os filmes também estreiam às sextas – um por semana –, com início no dia 20/8, e ficam disponíveis dentro da série Cinema #EmCasaComSesc. Não há necessidade de cadastro. Também serão promovidos encontros online com diretores convidados, que serão exibidos no canal do ICArabe no YouTube.

 

Cartaz de divulgação da abertura do evento [Reprodução]

Cartaz de divulgação da abertura do evento [Reprodução]

PROGRAMAÇÃO

No Sesc Digital:

20 de agosto a 16 de setembro: “A 200 Metros” (o longa, que estreia no dia 17 de setembro no Brasil, terá a sua pré-estreia na mostra. O filme ficará disponível entre os dias 20 e 26 de agosto e terá uma limitação de visualizações).

27 de agosto a 2 de setembro: “Bagdá Vive em Mim” – (filme terá sua pré-estreia na Mostra)

3 a 9 de setembro: “Caos”

10 a 16 de setembro: “Os Espantalhos”

Na plataforma da Mostra:

20 a 26 de agosto: “Chave de Fenda”

27 de agosto a 2 de setembro: “Nós somos de lá (longa-metragem)” e “In Memoriam (curta-metragem)”

Mesas redondas online:

27 de agosto, às 18h – Mesa redonda sobre os filmes “A 200 Metros” e “Chave de Fenda”, com o diretor Ameen Nayfeh (A 200 Metros), o produtor do filme “Chave de Fenda”, Shrihari Sathe, a historiadora Maria Aparecida Aquino, professora-titular da USP, com moderação do jornalista Diogo Bercito.

1º de setembro, às 17h – Mesa redonda sobre o filme “Nós Somos de Lá” e o curta “In Memoriam”, com os diretores Wissam Tanios e Otávio Cury, o historiador Murilo Meihy (UFRJ), com moderação de Soraya Smaili, farmacologista da EPM Unifesp e reitora no período 2013-2021, idealizadora da Mostra Mundo Árabe de Cinema.

3 de setembro, às 19h – Mesa redonda sobre o filme “Bagdá Vive em Mim”, com o diretor Samir Jamaleddine, com moderação do jornalista José Arbex.

Confira os filmes participantes:

Caos  (2018)

Direção: Sarah Fattahi

Países: Áustria, Síria, Líbano, Catar

O documentário narra as histórias de três mulheres sírias: uma em Damasco, uma na Suécia e outra em Viena, exiladas por conta da guerra em seu país. Depois do sucesso de Coma, vem a segunda trilogia. Três mulheres compartilham dos mesmos medos e traumas. A terceira mulher e o seu depoimento é a autobiografia da diretora. Não trata de imagens, mas de sentimentos, inclusive do luto e da dor. A mulher na Suécia e amiga da diretora, sofre de bipolaridade, e considera a guerra o motivo de toda culpa que sente. A mulher muda, pela perda do filho na guerra, mora em Damasco, é amiga da mãe da diretora. Foi uma experiência traumática para a mãe e para a diretora se manterem distantes. Sarah faz dublê de um espírito não visto em Viena: “o fantasma de Ingeborg”, como se ela não existisse – pois é o seu estado de espírito. Ela aborda a vida com tormento e como testemunho da história. Votado como um dos melhores filmes pela revista New Yorker. É a própria diretora quem segura a câmera. Teve sua estreia no Festival de Locarno em 2018.

Chave de Fenda (2018)

Direção: Bassam Jarbawi

Países: Palestina, Catar, EUA

Após 15 anos numa prisão israelense, explorando a carga física e emocional que o trauma e o tempo perdido extraem de seu psiquê machucado, Ziad, o protagonista, preso injustamente, tenta se reintegrar ao seu núcleo social.  1/5 dos palestinos foram presos ao menos uma vez. O roteiro foca na desconexão do protagonista. Trata-se da reintegração à sociedade dentro de sua própria sociedade. Thriller psicológico e drama social. Teve sua estreia em Toronto ( Discovery) e Veneza (Horizontes).

(Tunísia/Marrocos/Luxemburgo) – francês e árabe

Os Espantalhos (2019)

Direção: Nouri Bouzid

Países: Tunísia, Marrocos, Luxemburgo

Duas mulheres que descobrem a escravidão sexual, convencidas de que na Síria encontrariam um paraíso, ao retornar à Tunísia são vistas como párias pela sociedade; até mesmo aqueles que as ajudam na prisão sofrem preconceito. Trata-se de um tema global, que retrata as pessoas que não têm chances de se reabilitar na prisão. É poderoso, urgente e ambicioso. Teve sua estreia em Veneza ( Sconfini).

Nós somos de lá (2020)

Direção: Wissam Tanios

País: Líbano, França

De abordagem proustiana trata-se de um documentário sobre a fuga de dois irmãos (um, carpinteiro, outro, trompetista) – um vai para Berlim e outro para a Suécia. Desde a guerra civil na Síria e a jornada, o périplo que é recomeçar do zero, é salvo pela paixão à vida, à determinação, ao senso de humor e à esperança por um futuro mais promissor; tudo isso, relatado por um primo, que questiona o verdadeiro significado que é ter um lar, recordando memórias de infância, e explorando a habilidade humana de lidar com mudanças radicais na vida. Teve sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Rotterdam 2020 e ganhou os prêmios de melhor filme árabe e melhor filme não-ficção no Festival Internacional de Cinema do Cairo 2020

Bagdá Vive em Mim (2019)

Direção: Samir Jamaleddine

País: Suíça, Alemanha, Reino Unido

Thriller de ficção de Samir Jamaleddine – autor de “A Odisseia Iraquiana” -, trata da integração de imigrantes iraquianos em Londres, do conflito entre a radicalização da comunidade pelo sheik local e a adoção de valores liberais ocidentais. Melancolia x ultramodernidade. Uma ponte necessária à sobrevivência de todos. Ateísmo, igualdade, homossexualidade. A religião tenta integrar os jovens recém-chegados e isolados, que vivem sob constante paranoia social. Teve sua estreia no Festival Internacional de Cinema do Cairo (Horizontes do Cinema Árabe) e foi aclamado em Locarno. O filme terá sua pré-estreia na Mostra.

A 200 Metros (2020)

Direção: Ameen Nayfeh

País: Palestina, Jordânia, Catar, Suécia, Itália

Indicação da Jordânia para o Oscar 2021. O longa retrata a jornada de Mustafa, interpretado por Ali Suliman, um pai que mora a 200 metros de distância de sua família. Eles vivem separados por um muro, que divide a Cisjordânia e Israel.  Quando recebe uma ligação de que seu filho sofreu um acidente e está internado, Mustafa tenta atravessar a fronteira mas é impedido. Inconformado com a situação e com a recusa dos oficiais israelenses, ele parte em uma viagem de 200 quilômetros para reencontrar a sua família.  A estreia mundial do filme aconteceu no Festival de Veneza, em setembro. Zona de Confronto ganhou o BNL People’s Choice Award e recebeu o prêmio da crítica (Fipresci), além de ser reconhecido pelo público com uma premiação por “exemplificar temas humanitários”, em El Gouna.

O longa, que estreia no dia 17 de setembro no Brasil, terá sua pré-estreia na mostra. O filme ficará disponível entre os dias 20 e 26 de agosto e terá uma limitação de visualizações.

In Memoriam (2021)

Direção: Otavio Cury

País: Brasil, Argentina, Síria

Em um café na Síria, a lembrança da morte do avô traz a Jorge memórias de outras mortes. A ânsia pelo autoconhecimento, através da busca de suas raízes constitui o cerne de mais um filme de forte cunho pessoal de Otávio Cury. Nostalgia de uma época não vivida, memórias da vinda de parentes ao Brasil e episódios fatídicos contribuem para a peculiaridade dessa obra, que a exemplo de trabalhos anteriores do diretor, enriquecem o acervo de relatos sobre a imigração árabe ao Brasil

Categorias
ÁfricaAlemanhaAmérica LatinaArgentinaÁsia & AméricasÁustriaBrasilCatarEUAEuropa & RússiaFrançaItáliaJordâniaLíbanoLuxemburgoMarrocosNotíciaOriente MédioPalestinaReino UnidoSíriaSuéciaSuíçaTunísia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments