Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Exposição de Manchester sobre guerra química é considerada ‘antissemita’ por grupo pró-Israel

Exposição de estudos sobre a nuvem [Galeria de arte Whitworth, administrada pela Universidade de Manchester]
Exposição de estudos sobre a nuvem [Galeria de arte Whitworth, administrada pela Universidade de Manchester]

Um grupo legal pró-Israel acusou uma exibição de arte em Manchester de antissemitismo, depois de ter apresentado um trabalho que aborda a violência de Israel contra os palestinos.

A Whitworth Art Gallery, da Universidade de Manchester, está realizando a exposição Cloud Studies, que descreve como “nuvens de gás lacrimogêneo espalham veneno onde nos reunimos, nuvens de bombas vaporizam prédios, armas químicas sufocam bairros inteiros e a poluição do ar atinge os marginalizados. Nosso ar é armado. Nossas nuvens são tóxicas”.

Fornecendo imagens da Palestina, Indonésia, Líbano, Reino Unido e da fronteira entre o México e os Estados Unidos, a Forensic Architecture “explora e expõe como o poder remodela o próprio ar que respiramos”.

Um comunicado na entrada da exposição diz “A Arquitetura Forense está com a Palestina” e continua a delinear experiências de “limpeza étnica” de bairros palestinos pela “polícia israelense e colonos”. Ele continua afirmando que a luta de libertação palestina “é inseparável de outras lutas globais contra o racismo, o antissemitismo da supremacia branca e a violência colonial dos colonos”, relata o Art Newpsaper.

O diretor do UK Lawyers for Israel (UKLFI), Daniel Berke, protestou contra a redação da declaração em uma carta ao vice-reitor da Universidade de Manchester, dizendo que a linguagem parece “destinada a provocar discórdia racial”.

O UKFLI prossegue citando um e-mail escrito pelo artista Daniel Mort que criticou a postura “unilateral” da exposição.

Um porta-voz do Whitworth disse ao Art Newspaper que a galeria “leva as preocupações expressas muito a sério e está em discussões com grupos comunitários relevantes e explorando como medidas prioritárias que podem ser tomadas para resolver as preocupações que foram levantadas em relação a aspectos da exposição”.

A Whitworth Gallery “mantém claramente seu compromisso com a tolerância zero para todas as formas de racismo”, acrescentou.

LEIA: Família é forçada a demolir a própria casa em Beit Hanina, Jerusalém Oriental

Categorias
Europa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaReino Unido
Show Comments
Show Comments