Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Marrocos reconhece o terceiro gênero e aprova o uso da linguagem berbere nos registros de nascimento

Mulheres carregam uma bandeira marroquina (E) e uma bandeira berbere (D) e fazem o símbolo berbere de três dedos durante um protesto, em 2 de março de 2012 [Abdelhak Senna /AFP via Getty Images]

Uma nova lei de estado civil aprovada pelo parlamento marroquino na terça-feira reconhece os termos andrógino e hermafrodita nas certidões de nascimento como um terceiro gênero, ao mesmo tempo em que permite a possibilidade de resignação de gênero. A lei também dá luz verde para escrever os nomes nas certidões na língua berbere.

O artigo 28 do Projeto de Lei nº 36.21, relacionado ao estado civil, “autoriza o registro do nascimento de um hermafrodita, com um atestado médico necessário especificando o sexo do recém-nascido. Caso haja uma mudança no gênero do hermafrodita no futuro, ela é alterada no certificado em virtude de uma decisão emitida por um tribunal competente”.

A mídia disse que a nova lei foi adotada para resolver o problema de lidar com o status intersexo, especialmente pessoas intersexuais que são registradas com um gênero específico e depois mudam para outro gênero, enquanto seus nomes permanecem inalterados.

O artigo 19 do projeto de lei também estipula que “os certificados de estado civil são escritos em árabe, com o primeiro e o nome de família da pessoa interessada e os nomes de seus pais escritos em Tifinagh [uma língua berbere] e letras latinas”.

LEIA: Assassinato racista de marroquino provoca indignação na Espanha

Categorias
ÁfricaMarrocosNotícia
Show Comments
Show Comments