Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Leis emergenciais da covid-19 sufocam os palestinos

Para Abdul Nasir Saeed, as balas substituíram o tradicional canhão anunciando a hora de quebrar o jejum (Iftar) no 17º dia do Ramadan no ano passado. Agora, sempre que ele vê as Forças de Segurança Palestinas, ele é assombrado pela imagem de si mesmo prostrado no chão com o sangue escorrendo de sua cabeça.

Na manhã de 10 de maio de 2020, Abdul Nasir foi para sua fazenda leiteira em Jamaeen, uma cidade ao sul de Nablus, na Cisjordânia ocupada.

LEIA: Covid-19 e o regime de apartheid na Palestina

Ele passou por dois postos de controle de segurança: o primeiro foi criado pela Autoridade Palestina quando o estado de emergência foi declarado para restringir o movimento de cidadãos e limitar a propagação do covid-19; o segundo era o posto de controle Huwwara de Israel, cerca de cem metros à frente. Quando Abdul Nasir voltava a sua casa à tarde para levar sua família à fazenda para o Iftar, um oficial israelense o deteve e disse: “Os portões se fecharão em breve. Diga a eles [os oficiais de segurança palestinos no outro posto de controle] para abrir o portão”, a fim de liberar o engarrafamento nos postos de controle antes da hora do Iftar. Ele seguiu seu caminho depois de notificar os oficiais palestinos.

Faça o download da reportagem completa

Categorias
PublicaçõesReportagem
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments