Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Anistia critica Grécia por deportar brutalmente requerentes de asilo

Refugiados carregam seus pertences enquanto a polícia grega os transfere para um novo campo na ilha grega de Lesbos, em 17 de setembro de 2020 [Grigoris Siamidis/Agência Anadolu]

A Anistia Internacional criticou as autoridades gregas por tortura, maus-tratos e repressão ilegal de migrantes e refugiados na Turquia.

Em um relatório intitulado “Grécia: Violência, mentiras e resistências”, a Anistia informou que as resistências, em terra e no mar, às vezes envolviam pessoas apreendidas até 700 quilômetros em território grego.

O grupo de direitos humanos descreveu 21 incidentes que envolveram cerca de 1.000 pessoas.

Muitos foram submetidos à violência antes de serem transferidos de volta para a Turquia, disse Adriana Tidona, pesquisadora de migração para a Europa na Anistia, no relatório.

“Nossa pesquisa mostra que as resistências violentas se tornaram a política de controle de fronteira da Grécia na região de Evros”, disse Tidona, referindo-se ao rio que faz fronteira com a Turquia.

“Está claro que vários braços das autoridades gregas estão coordenando de perto para apreender e deter brutalmente pessoas que buscam segurança na Grécia, submetendo muitos à violência e, em seguida, transferindo-os para as margens do rio Evros antes de devolvê-los sumariamente à Turquia.”

Em março, a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR, na sigla em inglês) disse que a prática da Grécia de empurrar os migrantes irregulares de volta para a Turquia constitui uma clara violação da Convenção de 1951 para os Refugiados, da Convenção Europeia sobre Direitos Humanos e da legislação da União Europeia.

LEIA: Guarda Costeira da Grécia tenta atear fogo em requerente de asilo

Categorias
Anistia InternacionalEuropa & RússiaGréciaNotíciaOrganizações Internacionais
Show Comments
Show Comments